• _

Game do ano, não: Brawl é o game de toda uma geração

noreset_gamenews

Os dois maiores icones da história dos videogames frente a frente!

Os dois maiores ícones da história dos videogames frente a frente!

O fim do ano chegou e muitos veículos especializados, como sites e revistas, já fizeram ou estão fazendo suas listas de melhores games do ano. Em 2008, tivemos muitos ótimos lançamentos pra todas as plataformas, de todos os tipos, pra todos os gostos. Mas nesse post eu quero destacar um lançamento em especial: Super Smash Bros. Brawl.

A franquia começou no Nintendo 64 e trata-se de um jogo de luta que foge de todos os padrões, sendo palco de batalhas caóticas envolvendo os mascotes de vários jogos famosos da Big N. Logo, Smash Bros. se tornou um dos jogos mais bem sucedidos em cada plataforma que foi lançado, até chegar à sua terceira versão, Brawl, no começo do ano, com exclusividade pro Wii.

Sim, Brawl repete a fórmula dos seus antecessores, mas também adiciona elementos suficientes pra ser considerado superior às versões de 64 e Game Cube, e também para ser chamado de verdadeiro tributo à geração de gamers que cresceu jogando os clássicos dos anos 80 e 90.

brawl3Analisando friamente, Brawl já é um jogo extremamente divertido. Ao contrário da maioria dos jogos de luta, aqui você não é obrigado a decorar comandos complexos e combos complicados, qualquer um pode escolher seu personagem preferido e sair dando porrada! O modo online existe, mas é uma desgraça, o que impede que o jogo seja considerado perfeito. Porém, o multiplayer local é uma das melhores experiências que você pode ter jogando com os amigos. O caos generalizado nas batalhas as tornam únicas e imprevisíveis, nenhuma luta será igual a outra.

Agora, isso aqui não é um review, e eu, que faço parte da geração citada acima, acho impossível analisar Brawl friamente! Brawl é um crossover, sim, e existem muitos deles por aí, mas esse é um crossover que reúne verdadeiras lendas do videogame! Ora, desde que Sonic foi anunciado, Brawl entrou pra história dos videogames, simplesmente por reunir os dois maiores ícones dos videogames em um só jogo! Tá, aquele jogo das Olimpíadas saiu antes, mas em Brawl, Mario e Sonic estão frente a frente pra trocar sopapos! O mundo dos games não pode ficar muito melhor do que isso!

brawl6Aliás, pode, sim. O rol de lutadores é dos melhores. Qual gamer que se preze nunca ouviu falar de Link, de The Legend of Zelda? Ou de Samus, da série Metroid, a primeira protagonista do sexo feminino da história dos games? O jogo conta até com Solid Snake, da série Metal Gear!

Mas não é só por causa da variedade de personagens que Smash Bros. deixou de ser um serviço apenas para fãs da Nintendo e passou a ser o jogo de toda uma geração. O jogo ainda faz diversas homenagens a todos os jogos de onde vieram os personagens lutadores e a muitos mais, através de seus troféus, stickers, cenários, trilha sonora e tudo mais que faz parte desse riquíssimo jogo.

A cereja do bolo é o modo Subspace Emissary, que dá um jeito de colocar todos esses personagens de universos diferentes em uma única história coesa, ainda que isso resulte em parcerias estranhas. A genialidade desse modo é a jogabilidade, que mistura plataforma 2D com um beat-em-up, ambos gêneros bastante difundidos nos anos 90. Entre as fases, podemos ver que a equipe de produção colocou o hardware do Wii pra trabalhar em bonitas animações em CG, e como não poderia faltar em um jogo de plataforma, existem alguns chefes gigantescos pra destruir em certos cenários. Vale lembrar que boa parte dos personagens presentes em Brawl veio, justamente, de jogos de plataforma, o que serve para aumentar ainda mais o nível do saudosismo.

brawl7Enfim, muitos jogos excelentes foram lançados esse ano, mas todo gamer dessa geração deve dar o devido valor a Smash Bros. Brawl. Não é o meu jogo preferido, e pode não ser o seu também, mas Brawl reúne muitos elementos que serviram para definir o modo como jogamos até hoje. É o clássico dos clássicos. Uma homenagem a toda uma geração de gamers, repito de novo. Além de ser um jogo extremamente divertido!

Por tudo que o jogo oferece, eu não considero Brawl o Jogo do Ano.

Brawl é o jogo da minha geração. Dependendo da sua idade, pode ser da sua também.

rodape_noresetnet2

Jogos de luta reduzidos a mero fanservice

O jogo de luta que eu mais gosto é, sem dúvidas, a série The King of Fighters. O primeiro jogo saiu em 1994 e fez um grande sucesso, pois além de adotar o sistema de 3 contra 3, ainda era a reunião de personagens de diversas franquias famosas da SNK, como Fatal Fury, Art of Fighting e Ikari Warriors.

De lá pra cá, vários outros personagens famosos se reuniram sob um mesmo teto para trocar sopapos. Muitas séries ficaram famosas, como Marvel vs Capcom, Soul Calibur, Smash Bros. e tantas outras. Esse tipo de jogo atrai atenção instantânea. Quem não gosta de jogar com seu personagem preferido e bater nos outros? Isso significa que todos os jogos de luta que saem hoje em dia ou são sequência de alguma franquia, ou são crossovers.

E é aí que mora o perigo. Há quanto tempo não temos jogos de luta completamente novos? E o que é pior: realmente precisamos de novos personagens se socando?

Jogos de luta, geralmente, são extremamente complexos. Vão além da separação de jogadores hardcore/casuais. Você pode ser o mais hardcore dos jogadores, jogar desde que nasceu, acompanhar todos os lançamentos e ainda assim não saber jogar um jogo de luta. Ou, pelo menos, não saber soltar um especial ou fazer um combo. Quem aí consegue fazer um qcb+hcf+soco? Quem aí entendeu isso?! (É simples: qcb=quarter circle back, hcf=half circle foward. Esse é o comando de vários especiais em jogos da SNK, como o especial mais famoso de Kyo Kusanagi, o Orochinagi. [/SNK fanboy mode])

Seja pela atenção que personagens famosos atraem, seja pela complexidade dos comandos, a verdade é que jogos de luta se tornaram poços de fanservice. E muitas vezes isso afeta a qualidade dos jogos. Inovações no rol de lutadores ainda existem, mas na jogabilidade, nem tanto. Fora que as empresas pouco ou nada fazem para prender a atenção do jogador em uma campanha singleplayer. O maior exemplo disso é a própria série The King of Fighters: as versões de Playstation 2 não ocupam nem metade do disco, já que os jogos não apresentam modo história, vídeos nem nada de novo em relação às versões de arcade.

Street Fighter IV tenta compensar isso com maravilhosas cenas em anime. Soul Calibur IV adiciona horas de jogatina com modo de criação de personagens e modo online. Smash Bros. Brawl tem modo história. É bom ver que algumas franquias estão se preocupando em proporcionar horas a mais de diversão para os jogadores, mas não podemos negar que esse gênero está cada vez mais exclusivo, impedindo que mesmo jogadores hardcore que não sejam fãs tenham difícil acesso. Ou mesmo interesse.

Pré lançamento de Super Smash Bros. Brawl: O NoReset foi

Análise NoReset

Direto de São Paulo, com exclusividade para o NoReset
Gustavo Oliveira

SSBB

Hoje aconteceu o evento de pré-lançamento de Super Smash Bros. Brawl, o game mais esperado para Wii nos últimos meses. O lançamento foi realizado na Livraria Saraiva do Shopping Anália Franco, em São Paulo, e contou com a presença de gamers “ensandecidos” para testar o novo game de luta da Nintendo.

Para jogar era preciso pegar uma fila (que demorava um bocado) e esperar a vez. Dois consoles foram disponibilizados para jogar o game com quatro Wii Remotes e Nunchucks cada um. Existiam alguns promotores da Nintendo presentes para que tudo não virasse uma bagunça.

As batalhas funcionavam da seguinte forma: Lutas por tempo e com itens. O vencedor ganhava um boné do Wii, uma caneta e uma camiseta de… Zelda Twilight Princess (?), além de aguardar para uma batalha entre primeiros colocados, valendo uma moeda de Super Mario Galaxy (??). Os outros ganhavam apenas boné e caneta.

O número de pessoas foi razoável, cerca de 50 gamers faziam fila, muitos deles mais de uma vez, para tentar jogar o game em primeira mão.

O game em si é realmente tudo aquilo que esperávamos e muito mais: extremamente bem feito, com aquela galeria de personagens que tanto aprendemos a gostar ao longo de mais de vinte anos de história, mantendo vários personagens de Melee .

A parte gráfica é belíssima, uma das mais belas do console, com efeitos de luz e explosões muito bem definidas e cenários coloridos,entre eles, alguns famosos como Castelo de Hyrule e Arena Pokémon até outros novos como a telinha do PictoChat. Alguns personagens ganharam detalhes (como o detalhe jeans do macacão de Mario) e mais expressões faciais.

A jogabilidade com o Wii Remote não agradou e foi bastante criticada. Todos os jogadores reclamavam da combinação. Entre eles, Felipe “Bob” (abaixo, à direita, de boné), 19, e Anderson “Dedê”, 17 (à esquerda). “Os controles com o Nunchuck estão muito sensíveis, com o controle do GameCube o jogo ficaria muito melhor” confessam os jogadores. Eu também tive a mesma sensação.

004.jpg
Dedé e Bob: com controle de Game Cube, jogo ficaria melhor

Já a parte sonora não consegui ouvir, o som das duas TVs, aliado aos gritos dos nintendistas, transformaram tudo em uma grande farofagem sonora, impossibilitando qualquer tipo de avaliação.

Não há dúvidas que se trata de um grande game. Eu, como fã da franquia, achei “foda.com.br”. Mas acredito que duas batalhas que somadas não dão nem 8 minutos não são suficientes para avaliar detalhadamente o game.

Só posso afirmar que esse game me deu mais vontade ainda de ter um Wii e se você tem o aparelho, junte uma grana para comprar.

Veja abaixo algumas fotos que tirei no evento (clique para ampliar):

Fotos 1 e 2 : Games jogando Brawl. A jogabilidade não agradou.

 002.jpg 001.jpg

Foto 3: Como será a capinha do game.

006.jpg

Foto 4: Foto de uma batalha.

009.jpg

Fotos 5 e 6: Em meio à moleques estranhos, espinhentos e com caras de bobo que só batiam fotos do jogo, mostrei que sou muito mais esperto e vi que haviam algumas coisas tão interessantes quanto o game: As lindíssimas promotoras da Nintendo.
Na foto de cima você vê a Jéssica e na foto de baixo você vê a Tâmara. “Díliça”!

 007.jpg 011.jpg
Belas promotoras da Nintendo: posso levar para casa?

Foto 7: Mostro que também ganhei umas partidas de Brawl : Eu, com um dos bonés de Wii que ganhei (e sinceramente, não sei se irei usar) e a camiseta de The Legend of Zelda: Twilight Princess. Confesso que não fui macho o suficiente para usar meu personagem favorito nesse game: Kirby.

Tive que apelar e usar Samus mas ainda assim, perdi.

Tive que ficar mais meia hora na fila para jogar com Link e mostrar pra todo mundo para que fui naquele bendito evento!

014.jpg

Bom, é isso aí. Por enquanto…

Fuleiragens e chinelagens, como sempre, é só aqui!

 

Campeão de torneio de Brawl se dará mal

Cachacisses

Ah a categoria cachacisses… é minha categoria favorita do blog sabiam?
E olha que fazia um tempinho que ela não aparecia.

A loja GameStop realizará um torneio de lançamento de Super Smash Bros. Brawl.
Vejam só o que o ganhador ganhará…

tefeu.jpg

É um cara vestido com roupa de luta romana… 
Quem foi o idiota que bolou isso?

 Além de ser um troféu horrível, que não tem nada a ver com Brawl, essa bizarrísssima estatueta mais parece a posição de um cara cagando…
 E outra, parece o Samuel Rosa do Skank…

 Dá uma olhada!

                                                samuel.jpg

  Igualzinho! Caray…

Bom, tudo o que sei é que dia 15 de Março vai ter um torneio de Brawl aqui em São Paulo. Espero que, se além dos prêmios rolar algum troféu, ele seja mais bonito que esse.

[via destructoid]

Chun-Li faz escola e Nintendo libera geral

Cachacisses

 Sabe o que é isso?

peach.jpg

A buzanfinha da Peach. Pelo jeito é uma imagem de Super Smash Bros. Brawl. Não que eu tenha tara por mulheres virtuais ( e não tenho mesmo) mas até que ela tá bem servida num tá não?

 E a Nintendo? Vai permitir essa “vulgaridade”?

E Chun-Li? Anda fazendo escola?

peach2.jpg

Vê se pode?

Depois dessa vou trabalhar que faz bem…

[via kotaku]

Smash Bros foi adiado! Por enquanto…

Lançamentos NoReset
SSBB

O site oficial do Super Smash Bros Brawl anunciou que o game foi adiado nos States e nas terras nipônicas!

Por que?! Porque sim! Ha ha ha! Na verdade o motivo foi o atraso no cronograma.
Segundo o site japonês Digimaga.net, na verdade o atraso foi motivado pelo lançamento de games como Need fot Speed ProStreet, Sega Rally Revo, Devil May Cry 4, além de Disgaea 3, um dos mais aguardados para PlayStation 3.

A Nintendo quer ofuscar o lançamento dos games dos consoles da Sony. A nova data prevista é 31 de janeiro no Japão e 9 de março nos States.

Uma boa estratégia, mas que deixa qualquer gamer irado, isso sim, deixa!

EGM gringa lança 12 capas na edição de fevereiro

Fuleiragens NoReset12 capas

Capas da edição 225A Eletronic Game Monthly lançará no dia 15 de janeiro a edição de fevereiro com 12 capas sobre o game Super Smash Bros Brawl. Eles apostaram em colocar um personagem do game por capa, veja abaixo. O cara tem ter grana sobrando para comprar 12 edições iguais em que só muda a capa, mas em terras gringas deve ter loucos para fazer isso e a EGM incentiva a compra das doze capas da edição 225.

Apreciem a criativadade, você compraria 12 revistas só por causa da capa?

Eu hein, esses americanos inventam cada coisa para ganhar dinheiro…