• _

Especial Rock Tour: the clash of gameblogs

noreset_especial
rockbandMastercard2cidocoelho_profileAmigo NoReset! Acabei de chegar do Rock Tour, organizando por uma empresa de cartão de crédito e do Game Bar, organizado pela Menina que Joga. Mas essa nota rápida é para avisar que o Gustavo Oliveira que fugiu do Game Bar, prometeu escrever a matéria sobre o Duelo de Bandas Rock Tour. E acredito que está a caminho.

Cido Coelho e Gustavo Oliveira acompanharam o crossover de Hadouken, GoLuck e Continue (o blog hardcore, graaaaur!), no Shopping Morumbi, em São Paulo.  Isso porque o Geek Pobre, Gus LanzettaMarcos Diniz (ex-GoLuck) estavam por lá… Imagine como foi isso!

Logo liberaremos o especial com fotos e tudo que aconeceu na disputa dos gameblogs no Rock Band. Muitas risadas e cachacisses rolaram a solta no Morumbumbas! Foi muito legal.

Em breve tem mais! Vai ter muita foto e texto bem legal produzidos pelos dois insanos que ajudam a cuidar desta bagaça!

NoReset
Fuleiragens e Chinelagens é só aqui!

Análise: Rock Band Unplugged (PSP)

noreset_analise

RBU

gustavooliveira_profileOk, confesso. Rock Band Unplugged foi lançado à quase dois meses e você já deve ter lido tudo quanto foi resenha por aí. Porém, peço que me dê uma colher de chá, afinal a análise foi feita depois de jogar o game  inteiro diversas vezes.

RBU foi lançado em junho de 2009, apenas para PSP, na parceria da Harmonix com a MTV games. Confesso que quando soube que o jogo seria lançado para PSP, torci o nariz (assim como torci o nariz com Guitar Hero para DS) mas, por graça dos deuses do Videogame, eu me enganei. O jogo é bom, como você verá a seguir. Continue lendo

Games estão destruindo a indústria da música! Acabe com os games!

noreset_analiseGames estão destruindo a indústria da música! Acabe com os games!
Essa nota do Finalboss que foi publicada no UOL achei hilária. É o típico caso que o game violento é o culpado pelo crime que a pessoa fez.
Todo mundo sabe que a pirataria, os downloads ilegais contribuem para o prejuízo da indústria musical, mas a desculpa da vez vem da imprensa britânica. E a desculpa não é original.
Agora quem é o inquisitor da vez é o jornal britânico The Guardian, que apontou uma das principais causas da queda drástica nas vendas de música é causada pelos consoles de videogames – que está em ascendência, mesmo em crise.
A comparação que o jornal fez foi essa: no Reino Unido, os gastos com videogames subiram de £1,18 bilhão, em 1999, para £ 4,03 bilhão em 2008.
No mesmo período, as vendas da indústria da música “capotaram” de £1,94 bilhão para £1,31 bilhão.
O The Guardian justifica que os consumidores se sentem mais satisfeitos gastar com games que duram horas do que com com quatro CDs ou com jogos que deem para ser jogados com  suas músicas favoritas, como Rock Band e Guitar Hero.
Supostamente o jornal cita o aumento dos gastos com DVD, porém o crescimento não é tão imenso quanto aos games.
Sim, seria a mesma coisa que no Brasil eu dissesse a culpa da queda de audiência das rádios brasileiras que tocam músicas, em muitas, as FM (Frequencia Modulada, como Jovem Pan2, Mix, Energia 97, em SP, e por aí vai), culpasse os camelôs que vendem os jogos piratas de Rock Band e Guitar Hero, pois estes jogos estão roubando suas audiências e falindo as emissoras de rádios.
Ou então a queda da audiência nas TVs no inicio dos anos 90 também foram proporcionados pelos milhões de consoles Nintendo Entertainment System, Super Nintendo, Mega Drive e Master System que assolaram o mercado na “Guerra dos 8 Bits e 16-Bits”
Logo, logo vão falar que os videogames interferem nos sitemas políticos, sociais, médicos e até mesmo religiosos das pessoas e que todos os consoles devem ser levados às fogueiras para que os humanos sejam purificados.
noreset_analiserockband_montcidocoelho_profileA nota do Finalboss que foi publicada no UOL achei hilária. É o típico caso que o game violento é o culpado pelo crime que a pessoa fez.
Todo mundo sabe que a pirataria, os downloads ilegais, preço alto das músicas vendidas em sites e lojas contribuem para o prejuízo da indústria musical, mas a desculpa da vez vem da imprensa britânica. E a desculpa não é original – ou talvez seja, pois é a primeira vez que vejo isso.
Agora quem é o inquisitor da vez é o jornal britânico The Guardian, que apontou uma das principais causas da queda drástica nas vendas de música é causada pelos consoles de videogames – uma indústria que está em ascendência, mesmo em crise.
A comparação que o jornal fez foi essa: no Reino Unido, os gastos com videogames subiram de £1,18 bilhão, em 1999, para £ 4,03 bilhão em 2008. No mesmo período, as vendas da indústria da música “capotaram” de £1,94 bilhão para £1,31 bilhão.
O The Guardian justifica que os consumidores se sentem mais satisfeitos gastar com games que duram horas do que com com quatro CDs ou com jogos que deem para ser jogados com  suas músicas favoritas, como Rock Band e Guitar Hero.
Supostamente o jornal cita o aumento dos gastos com DVD, porém o crescimento não é tão imenso quanto aos games.
Sim, seria a mesma coisa que no Brasil eu dissesse a culpa da queda de audiência das rádios brasileiras que tocam músicas, em muitas, as FMs (Frequencia Modulada; Como Jovem Pan 2, Mix, Energia 97, em SP, e por aí vai), culpasse os camelôs que vendem os jogos piratas de Rock Band e Guitar Hero, pois estes jogos estão roubando suas audiências e falindo as emissoras de rádios.
Ou então a queda da audiência nas TVs no inicio dos anos 90 também foram proporcionados pelos milhões de consoles Nintendo Entertainment System, Super Nintendo, Mega Drive e Master System que assolaram o mercado na “Guerra dos 8 Bits e 16-Bits”.
Logo, logo vão falar que os videogames interferem nos sitemas políticos, sociais, médicos e até mesmo religiosos das pessoas e que todos os consoles devem ser levados às fogueiras para que os humanos sejam purificados.
Talvez os games tenham alguma participação na vitória sobre a indústria músical, porém, a participação dessa fatia não é tão grande como o jornal The Guardian. E outra coisa: como que a indústria musical é prejudicada se ao mesmo tempo ela tem que ceder, entenda como venda, de direitos às produtoras de jogos para que os games saiam em evidência no mercado.
Tá aí, uma bela contradição papeleira, direto da terra da Rainha… Ai, caray!

Guitarra de verdade para Guitar Hero e Rock Band para PS2 e PS3

 

Tá vendo essa imagem acima? Essa belezura que você viu foi criada pela Logitech, especialmente para o PS2 e PS3. A guitarra foi criada com braço de madeira, metal e quase todas as coisas que você vê numa guitarra real. E o mais interessante, não precisa de fios e a bateria dura muiiiiito. 
Os botões são silenciosos, você não vai ouvir cliques, apenas o som de sua gutarra no seu Guitar Hero ou Rock Band favorito. Porém, a guitarra custa 200 dólares. Se você é muito fanático, conselho: fale com algum amigo corajoso que vai para os Estados Unidos, mesmo encarando a gripe suina e peça uma dessas. Tu não vai se arrepender.
Depois dessa, as outras guitarras ficaram no chinelo.
noreset_gamenews504x_logiguitar
cidocoelho_profileTá vendo essa imagem acima? Essa belezura que você viu foi criada pela Logitech, especialmente para o PS2 e PS3. A guitarra foi criada com braço de madeira, metal e quase todas as coisas que você vê numa guitarra real. E o mais interessante, não precisa de fios e a bateria dura muiiiiito. 
Os botões são silenciosos, você não vai ouvir cliques, apenas o som de sua gutarra no seu Guitar Hero ou Rock Band favorito. Porém, a guitarra custa 200 dólares. Se você é muito fanático, conselho: fale com algum amigo corajoso que vai para os Estados Unidos, mesmo encarando a gripe suina e peça uma dessas. Tu não vai se arrepender.
Depois dessa, as outras guitarras ficaram no chinelo.
INFORMAÇÕES COM KOTAKU

Revista Time aponta os 10 melhores games de 2008

noreset_plantao

Cido CoelhoO ano de 2008 está acabando, porém revista Time escolheu os 10 melhores em tudo que aconteceu durante o ano. Além disso, foram escolhidos os melhores jogos de videogame do ano. Geralmente a publicação faz isso todos os anos e os melhores deste ano que está no fim, na visão da maior publicação do mundo, você confere agora.

10. Spore


O Will Wright gastou sete anos escrevendo, estudando para chegar no  jogo mais evolutivo da história dos games.
No Spore você joga com o seu personagem usando as teorias darwinistas de evolução. É como eu disse uma vez para o meu amigo na primeira vez que joguei esse achado: “Isso para mim parece Tamagochi com Digimon, mais Pokemon e uma pitada de Charles Darwin. Aí chegamos no Spore!”
O jogo é muito bem feito pois você começa como uma célula e pode chegar a dominiação da sua civilização com a sua raça que você mesmo desenvolveu. É uma ótima sacada do senhor Wright.

9. Fieldrunners


Esse jogo tem uma história curiosa. Em 1970, tempo que a maça nem sonhava em ser mordida (que trocadilho infâme),  Steve Jobs e Steve Wozniak ajudaram a criar o jogo Breakout para o Atari.
Agora, 30 anos depois Jobs é o sinônimo de gênio e com o seus brinquedinhos, ele consegue fazer a alegria do povo hi-tech. Com o iPhone, a Apple transformou o seu telefone em um game touch portátil e desenvolveu um jogo baseado naquele lá dos anos do rock n´roll: Fieldrunners. Com esse jogo a maça – hoje mordida – promete também morder o mercado da Sony, com o PSP e da Nintendo, com o DS.

8. Hunted Forever


Esse jogo acontece num futuro tenebroso, e voce é um homem que corre, pula e desliza nesse cenário pós-apocalíptico, fugindo de vários robos assassinos.
O jogo é produzido em Flash e uma tendência que vem em ascendência. Os desenvolvedores de jogos em Flash já faturaram este ano cerca de US$ 20 milhões. E o Hunter Forever é mais um exemplo de uma boa safra de jogos em Flash que estão chegando por aí.

7. Star Wars: The Force Unleashed


Uma das séries de cinema mais populares da humanidade está na setima colocação da Time. E a história é que você, um Jedi, deve usar a sua força para salvar o universo da ameaça do Evil Jedi. Para a revista é uma das melhores coisas que aconteceu com a franquia durante os anos de Guerra nas Estrelas.

6. Dead Space


O herói de Dead Space tem que descobrir o que aconteceu com a nave espacial que sobre um ataque alienígena, em que os humanos a bordo viraram zumbis deformados. O jogo tem sangue, e você tem armas para detonar os zumbis sem piedade.

5. Gears of War 2


O enredo está baseado num planeta onde os humanos vivem, que não é a Terra e sim Sera. Um dia várias criaturas, parecidas com  largatos, sucumbem da terra e atacam as pessoas. Esse dia se chamou E-day. E basicamente a série acontece depois de 14 anos após a erradicação dos humanos. A segunda versão segue a mesma linha. O jogo é em terceira pessoa e ganhou vários prêmios pelo enredo e pela ação que o game produzido pela Epic conseguiu passar os gamers. É uma boa pedida para quem gosta de tiro e para quem gosta de ficar babando com cenas cinematográficas.

4. Rock Band 2


Para os amantes de uma boa música e para quem sonha em ser um bom roqueiro, Rock Band promete muita diversão e ação tirando o som dos clássicos do Rock usando a guitarra, cantando, tocando baterá, baixo ou até mesmo o controle.

3. LittleBigPlanet

O herói da LittleBigPlanet é um boneco de tecido grosso. O nome dele é Sackboy. Como tudo no seu mundo, ele é um brinquedo.  Sackboy corre e salta e desliza através de uma paisagem feita de interminavelmente inventivas e almofadas pesos e rampas e molas e brilhante bolhas e tudo isso em alta resolução. Neste jogo o PlayStation 3 mostra a que veio. No LitteBigPlanet, garante boas horas de diversão e a criação de comunidades e muito mais.

2. Braid


Braid se parece com o velho estilo de jogo baseado no Super Mario Bros. Entretanto, em Braid você pode manipular tempo: se você errar.é possível pode enrolar o relógio para trás e tentar novamente o desafio.

1. Grand Theft Auto IV


GTA bateu todos os recordes de custo, elogios e vendas. O game conta a saga do Niko Belic, que tem que combater o o crime organizado em numa versão de Nova York chamada Liberty City. O GTA deu aos gamers o poder da liberdade de um cidadão insano em uma grande cidade.

E está aí a capa dos games em 2008, segundo a Time:

time-bellic

rodape_noresetnet2

The Killers em Guitar Hero e Rock Band

noreset_gamenews1

the_killers1

Gustavo OliveiraO The Killers está fazendo mais sucesso do que eu quando chego na balada. Dia 25, o quarteto inglês de “rock chique” (eu curto bagarai), vai ter pacotes com suas músicas disponibilizadas na Xbox Live e na PSN, tanto para GuitarHero: World Tour como para Rock Band 2, o que me leva a crer que esta foi uma coincidência “fudidística” do mundo dos games.

O game da Harmonix (RB) recebe três músicas: Smile Like You Mean It, Spaceman, música do novo álbum da banda chamado Day and Age, e o grande sucesso da banda, Mr. Brightside.
Já o game da Activision (GH) recebe três músicas também, porém duas são do novo disco da banda: HumanLosing Touch. O sucesso Mr. Brightside dá as caras mais uma vez.

Sabem qual é o nome disso? Começa com H e termina com ype (Hype, pra você que não entendeu…)

No final, é incrível ver como os games músicais “salvaram” a indústria musical: Além de ganharem dinheiro com o download de músicas para tocar, várias outras coisas aconteceram.
Quer alguns exemplos?

– Emos com calça “aperta-saco” ouviram pela primeira vez Ace of Spades, Smoke on the Water, Surrender e XXY e outros rocks clássicos em Guitar Hero 1 e Guitar Hero 2, descobrindo o que vem a ser o rock clássico que eles tanto repudiavam sem sequer ouvir.
– Headbangers xiítas, também com calça “aperta-saco”, tiveram que engolir bons rocks atuais como Jet e Fall out boy em meio à Iron Maiden e Metallica, no eclético set list de Rock Band.
– Um monte de gente descobriu bandas ótimas, como The Outlaws e Dragonforce, já que o pessoal das produtoras garimparam algumas coisas para os preguiçosos ouvirem enquanto jogavam.

No geral quem saiu ganhando foi a música e a indústria fonográfica de certo modo, afinal se não fosse a Harmonix e a Activision, muitas bandas, produtores e gravadoras por aí já estariam comendo cocô. Por sinal, isso nem deve ser tão ruim assim, afinal, um bilhão de moscas no mundo inteiro não podem estar erradas, vocês não acham?

rodape_noresetnet

2009: Beatles ganhará game musical

A MTV Games anunciou um acordo feito com a Apple Corps, que administra os direitos dos Beatles, para usar as músicas para um novo game.

O jogo poderá ser lançado no final de 2009. Entretanto, não foi divulgado qual será o tipo de game e as plataformas.

A imprensa britânica e americana já havia divulgado que o game seria uma edição especial de Rock Band, que é produzido pela EA, Harmonix e MTV Games. Porém a  própria divisão de jogos da MTV nega.

De acordo com a nota o game será supervisionado pelos Beatles “sobreviventes” Paul McCartney e Ringo Star, o co-produtor do LOVE, Giles Martin. além de Yoko Ono e Olivia Harrison.

“O jogo promete a celebração da música e do talento artístico dos Beatles”, explica a nota.

Bom é ver para crer né. Estou torcendo para que não estraguem o jogo. Logo com os Beatles não pode. Seria um crime contra a humanidade.

INFORMAÇÕES COM UOL E REDETV!


Rock Band recebe quase todas as musicas de Nevermind

A Harmonix anunciou, como de costume, as músicas que serão disponibilizadas para download em Rock Band na próxima semana. O curioso foi o “pacotão Nirvana”, que vem com sete faixas do album Nevermind, o mais famoso da banda. Lançado em 1991, Nevermind deixou Eddie Vedder, vocalista do Pearl Jam puto da vida, já que o álbum de sua banda, Ten, do mesmo ano, era o mais vendido até Kurt Cobain resolver dar as caras.

As faixas disponibilizadas são: Territorial pissings, Breed, On a plain, Lounge act, Something in the way, Stay away e Polly (uma das minhas favoritas da banda). Se somarmos In Bloon e Drain you (que está presente em Rock Band 2) temos um total de 9 músicas do trio de Seattle para tocar.

Sim, mas se não me falha a memória, Nevermind tem 12 músicas que, somadas, chegam a quase 43 minutos de pauleira, sofrimento e injeções de heroína, certo? Certo. O lance é que estão faltando justamente as três canções mais famosas do disco e, consequentemente, da banda: Lithium, Come as you are e o hino Smells like teen spirit, tudo isso porque a senhora Courtney Love, dona dos direitos autorais das músicas da banda, não autoriza nem a pau. Se fosse Dave Grohl, o mr. Nice guy que é ex-baterista da banda e atual Foo Fighters, já estaríamos tocando o disco todo faz tempo.

Enfim, as faixas estarão disponíveis a parti de terça feira, dia 21 na Live e quinta feira, dia 23 na PSN.

Guitarras para garotas: a maior “farofisse” do ano

Guitar Tosco, já ouviu falar?

Inventaram um novo game: Guitar Tosco, já ouviu falar? (foto: G1)

Tá vendo essas desgraceiras aí em cima?

Essas são guitarras para jogar Guitar Hero e Rock Band e serão lançadas os Estados Unidos no mês que vem, para Wii e PS2, custando 70 doletas.

Pelo visual e cor você já percebeu: são guitarras desenhadas para serem usadas por garotas fãs das séries (obviamente, se você simpatizou com os instrumentos, fique a vontade para usá-las).

Eu achei a desgraça da humanidade. Parece guitarra da época do Kiss sem a máscara, da Avril Lavigne, ou o que é pior (em visual, porque o som é muito foda…) do Poison.

Nenhuma garota usaria isso…
Usaria?

INFORMAÇÕES COM G1

Rock Band na Europa

NoReset Games

Ontem (20), o concorrente direto do Guitar HeroRock Band – foi lançado hoje no continente europeu. com bandas locais como Muse e Blur.

Além disso, os norte americanos poderão ter o pacote de musicas de bandas européias por meio de download. Cada faixa custará US$ 2, ou 160 MS Points, no caso do Xbox 360. As nove faixas estarão disponibilizadas a partir de hoje no Xbox Live e no dia 22 na PlayStation Store.

As versões estarão disponiveis para PlayStation 3 e Xbox 360. Veja abaixo as nove faixas disponíveis:

*Beetlebum” (Blur)
*Hier Kommt Alex” (Die Toten Hosen)
Countdown to Insanity” (H-BlockX)
*Perfekte Welle” (Juli)
*Manu Chao” (Les Wampas).
*Hysteria” (Muse)
*Rock N Roll Star” (Oasis)
*New Wave” (Pleymo)
*Monsoon” (Tokio Hotel)