• _

SquareEnix quer Tecmo e mais uma novidade…

Hoje, duas notícias aconteceram pros lados da Tecmo, a produtora de séries como Dead or Alive e Ninja Gaiden, como você bem deve saber.

A primeira delas é que a empresa recebeu uma proposta da Squenix para se unir ao time. A dona de Final Fantasy quer pagar o equivalente a, aproximadamente, US$8,50 por cada ação da Tecmo, sendo que elas valem apenas US$ 6,50. Mas a Square Enix não é boba, quer logo a metade das ações da empresa, o que a tornaria sócia marjoritária.

O presidente da Square Enix, Yoichi Wada disse à imprensa que já vinha trocando uma idéia forte com o ex-presidente da Tecmo, Yoshimi Yasuda. Wada afirmou que para o crescimento da indústria oriental ocorra novamente, é necessário que os grandes devam se unir.

Wada ainda tocou em assuntos delicados. Indagado sobre Tomonobu Itagaki, o japa mostrou que é macho, porém educado: Disse que Itagaki realmente pode ser um gênio, mas não fez os games sozinho. Logo, para o bom andamento da equipe, é necessário uma boa relação pessoal entre os funcionários. (Traduzindo: “Você é mala e na minha empresa você não pisa!”)

O intuito da Square Enix é produzir mais games de ação e luta, coisa que a Tecmo realmente faz muito bem. A Tecmo afirmou que está estudando a proposta.

A outra notícia é: Ninja Gaiden II, de Xbox 360 acabou de bater a marca de 1 milhão de cópias vendidas. Desse total, 412 mil cópias foram vendidas só nos Estados Unidos (o que em minha opinião, foi pouco).
Obviamente, Tecmo e Microsoft devem estar rindo à toa, já que o game ainda não tem nem três meses de lançamento e já bateu uma boa marca de vendas.

Tecmo diz que não há briga entre ela e funcionários

Plantão NoReset

A briga Tecmo versus funcionários está parecendo novela mexicana do SBT.

Para quem não sabe o que está acontecendo, é o seguinte: Tomonobu Itagaki, designer da Tecmo, criadora de jogos como as séries Dead or Alive e Ninja Gaiden, deixou a empresa e a processou após alegar que bônus e horas extras não foram pagas à ele após o lançamento de DoA4.

O japa, que é garoto propaganda de cremes para espinhas, falou uma rajada do diretor da companhia, Yoshimi Yasuda, dizendo que o diretor “não honrava suas promessas”.

Logo após essa treta, muitos boatos surgiram. Dentre eles, um afirmava que 36 funcionários da Tecmo também estavam deixando e processando a empresa a exemplo de Itagaki e outro afirmava que 300 funcionários estariam processando a produtora japonesa.

A Tecmo respondeu ontem à imprensa de maneira educada, mas cheia de “alfinetadas”. Segundo a empresa, não existem duzias de funcionários pedindo demissão, não há um processo movido por 300 funcionários e que nenhuma informação foi omitida de seus acionistas. A empresa ainda disse que a imprensa deve “tratar dessas notícias com muito cuidado”.

Disse também que as informações do processo por Itagaki, não foram omitidas, mas sim  que “a companhia obsrevou as condições definidas pela bolsa de valores de Tóquio e liberou as informações de acordo e em tempo hábil.

Resumindo, como bem disse Douglas Pereira, no Blogeek: “Itagaki manda Tecmo chupar. Tecmo diz que Itagaki já estava mordendo antes”.

Eu não seria mais suscinto.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
 Itagaki: O Japonês mais cool depois do Jaspion