• _

Agora ficou pop de vez: Amaury Jr. fala de videogame

Amaury Jr. será o próximo a comprar um Wii
Amaury Jr. será o próximo a comprar um Wii

Se o papa é pop, o Wii é muito mais. Digo isso porque acabou de passar hoje, uma pequena “reportagem” sobre videogames no programa do Amaury Jr. (deixando claro aqui que eu não assisto o programa do “tiozinho chique”)

No começo, quando começou a rolar a reportagem, prontamente pensei: “agora vai ser um cocô. Esse playba vai falar um montão de merda…”

Mas o sangue de Jesus tem poder meus caros leitores. E por mais incrível que possa parecer, o senhor Amaury Jr. levou em consideração nosso passatempo predileto e foi um dos poucos apresentadores de TV que, aparentemente, buscou algumas informações sobre a indústria de games no Brasil e nos Estados Unidos.

Ele lembrou que o público alvo dos games tem uma média de 30 anos, que os games movimentam US$ 9,2 bilhões lá na gringa e que é mais rentável que a indústria de cinema, que a maior parte da galera que compra games lá fora tem mais de 18 anos e mais um monte de informações que eu e você sabemos, mas que nunca pensaríamos que ele se interessaria em saber.

Na seqüência, ele convidou ao palco 3 pessoas para fazer uma demonstração de 3 games diferentes: 1 cara para falar de Wii Fit, o campeão de Guitar Hero3 da ESWC (que jogou a versão de Wii também) e uma minazinha muito delicinha pra falar de Wii Sports.


Nesse ponto ele se mostrou pouco informado: “Já está a vendo no Brasil?” perguntou o apresentador burguês a todos os demonstradores. Mas isso foi irrelevante, já que ele demonstrou interesse pelos jogos e pelos produtos e falou de maneira muito coesa sobre todo o assunto, por assim dizer.

Na verdade ele estava, em tese, “defendendo” todos os videogames como uma forma de entretenimento sadia, pra mexer com sua massa cinzenta. Mas como o Wii é o console mais pop dessa geração e, ouso dizer, das duas últimas gerações, foi o aparelho escolhido para demonstrar que videogame é (quase) tudo de bom. Ele até falou com uma professora de eduação física para confirmar a eficiência do Wii Sports.

“O jogo não substitui os exercícios, mas possui uma maneira interessante, intuitiva e atrativa de fazer a pessoa interessar-se por exercícios físicos. O profissional não tem condições de examinar, por exemplo, o equilíbrio da pessoa que está se exercitando como o jogo é capaz de fazer”, disse a personal trainer.

Em um certo ponto da matéria (que não durou mais que 10 minutos. Espero ansiosamente um dia que exista um programa só sobre esse assunto) Amaury Jr. disse: “esse mercado cresce assustadoramente no Brasil”.

Se até ele sabe, é bom sinal. E finalmente estou pressentindo que o mercado vai dar um salto (se me dão a licença da palavra) fodido nos lados de cá nos próximos 2 anos.

Quem viver verá.