• _

Start your engines: Need for Speed Shift chega no Brasil

noreset_lancamentosSHIFT-Title
3950643651_216037fba0

cidocoelho_profileÉ caros leitores do NoReset! Vocês devem ter estranhado o porquê de não ter publicado as novidades do Need for Speed Shift, conforme havia anunciado no Twitter, no sábado, dia 19!

Tive alguns problemas e estava (ainda estou enrolado!) com alguns compromissos, mas segue a matéria do NoReset, que tarda mas não falha. Por isso, leia abaixo e veja as imagens.

A Electronic Arts (EA) reuniu blogueiros especializados, em uma lan house, em São Paulo, para o lançamento brasileiro do jogo Need for Speed Shift, que vai chegar às lojas no dia 25 de setembro. O jogo é o primeiro dos três produtos (os próximos são as versões Nitro e World Online) da série Need for Speed que a produtora pretende lançar até 2010.

Desenvolvido pela Slighty Mad Studios, em colaboração com a Black Box e pela equipe da EA, a versão Shift, apresenta belos gráficos, cenários e carros bem feitos e tem como diferencial em relação aos outros jogos de corrida, o modelo de pilotagem – mais realista e baseado na física.

O jogador é colocado na perspectiva do piloto, percebendo as forças da gravidade (a famosa força G), o realismo do cockpit e o impacto das batidas, que de certa forma o deixa desnorteado, pois a tela treme de forma violenta e fica cinza, passando a sensação de um acidente. Algo inédito em um jogo de corrida.

Além disso, o jogador tem a sensação de sentir as alterações na superfície da pista e os limites da aderência dos pneus.

“O principal diferencial do Need for Speed, que é conhecido por ser um jogo mais de rua, tradicional na série, agora é mais profissional e isso é a grande mudança. Ele sai da rua, do clandestino, e vai para uma coisa mais profissional mais simulador, mais para as corridas reais” diz o gerente geral da EA Brasil, Jonatan Harris.

O jogo tem os modos Carreira, em que o piloto faz a reputação em várias corridas; o modo Jornada, em que o jogador começa de um local desconhecido, enfrentando vários desafios e construindo sua carreira de piloto; e é claro, como não pode deixar de ser, o Need for Speed Shift tem o modo Online, onde o jogador pode enfrentar os desafios na internet contra outros jogadores espalhados no mundo.

E o jogo não fica só nisso, o Need for Speed Shift traz uma boa playlist que tem as músicas de artistas como The Prodigy, The King Blues, Jamal, Twisted Wheel e mais 20 artistas. Veja a lista:

Artista Música
Buraka Som Sistema feat. Pongolove Kalemba (Wegue-Wegue)
Chase And Status feat. Plan B Pieces
Deadmau5 Ghosts N Stuff
Eagles Of Death Metal Anything ‘Cept the Truth
Fort Knox 5 feat. Asheru Insight (The Nextmen Remix)
Gallows I Dread The Night
In Case Of Fire This Time We Stand
Jamal Pull Up
Kanye West Paranoid (Part 2)
Kasabian Underdog
The King Blues The Streets Are Ours
Mala Rodriguez Te Convierto
Mando Diao Mean Street
MSTRKRFT feat. E-40 Click Click
N.A.S.A. Whachadoin? Feat. Spank Rock, MIA, Santigold and Nick Zinner
The Prodigy Run With The Wolves
The Qemists feat Mike Patton Lost Weekend
Regular John Transmitter
Rootbeer Under Control
Shinichi Osawa Electro 411 (Lies In Disguise Mix)
Spoon Harris & Obernik Baditude
TOKIO Dogonim
Twisted Wheel Oh What Have You Done
Two Fingers feat. Sway High Life

No final do evento, onde os blogueiros (e jogadores) puderam experimentar como é ser piloto no Need for Speed, todos foram convidados para ir até um kartódromo, localizado em Barueri, onde todos puderam correr de kart para poder comparar o jogo com a pilotagem real.

Veja a lista dos blogs participantes:

– Judão;
– Puro Pop;
– Continue;
– Pensamento Gamer;
– Menina que joga;
– Game Girl;
– Jogorama;
– In Game ad.Diction;
– NoReset;
– Nerd somos nozes;
– Hadouken;
– Eita Preula;
– News inside;
– GoLuck;
– Haznos;
– Velocidade;
– Infomaniaco;

Confesso que saí com os braços doendo após pilotar um kart. E de certa forma, eles me convenceram que o jogo se aproximou com a sensação de um piloto real.

O jogo Need for Speed Shift estará disponível nas prateleiras brasileiras a partir do dia 25 de setembro para os consoles Xbox 360, Playstation 3 e PC.

Assista os vídeo oficial onde os blogueiros (eu incluso) comentam sobre o jogo e veja também como foi a corrida.

ENTREVISTA
“O Gran Turismo 5 não é nosso concorrente”

O gerente da Electronic Arts Brasil, Jonatan Harris,  foi entrevistado pelo NoReset e conta que o Need for Speed Shift “legalizou a série”  e que o jogo não concorre com o Gran Turismo, da Sony

Jonatan Harris, gerente geral da EA Brasil

Jonatan Harris, gerente geral da EA Brasil

podcast_logoClique aqui e ouça a entrevista que o gerente geral da Electronic Arts Brasil, Jonatan Harris, cedeu ao editor do NoReset. Cido Coelho.

Ele fala sobre o lançamento nacional do game Need for Speed Shift, o que há de destaque nesse novo lançamento e sobre a concorrência com Gran Turismo 5, da Sony.


*Para saber mais e conhecer o jogo acesse o site oficial do jogo no Brasil e o canal de vídeos:

http://www.youtube.com/user/NeedForSpeed

http://www.brasil.ea.com/games/17185,pcdvd/gameinfo/

Galeria de fotos do evento e da corrida:

Quero aproveitar este espaço para mandar um abraço para todo mundo! Foi legal pra caramba o evento e espero revê-los na próxima vez…

4

5

O Início da Fantasia – Final Fantasy IV

noreset_analise

FfivPSjapanfront

wesleypires_profileColete muitos Gils, compre muitas Potions e Phoenix Downs, eleve o nível de seu personagem ao limite, pois é chegada a hora de retomar a série de matérias sobre a série Final Fantasy. É claro que eu estou falando da série “O Inicio da Fantasia”. É necessário dizer que esta matéria está cheia de SPOILERS?!

"SPOILER, RÁÁÁÁÁÁÁÁÁ!!!"

"SPOILER, RÁÁÁÁÁÁÁÁÁ!!!"

A Era 8 bits havia acabado e novos consoles estavam chegando com a geração 16 bits, trazendo melhorias gráficas, sonoras e trazendo aspectos novos quanto à jogabilidade. A Nintendo estava ganhando certa fama graças ao seu Super Nintendo, principalmente aqui no Brasil, já que empresas trouxeram o console para terras tupiniquins. Quem não se lembra daquele manual que vinha junto com o SNES ensinando os comandos do Super Mario World? E claro que era uma perfeita ocasião para a Square mostrar o que era capaz de fazer em um console 16 bits, e o primeiro jogo da série a se aventurar foi Final Fantasy IV, que foi trazido para a América como Final Fantasy II.

Mesmo continuando com o esquema tradicional de batalhas por turno, uma adição importantíssima para a série, que faz a sua estréia neste jogo é o Active Time Battle (ATB). Não está ligando o nome á pessoa? Sabe aquele momento em que você vai escolher algum comando e o seu inimigo te ataca antes? Pois é, a culpa é do ATB, agora você pode culpar alguém caso perca para algum inimigo. Agora a velocidade do personagem influencia em quem atacará primeiro. O ATB também introduziu o conceito de Preemptive Strike, onde você tem a chance de atacar primeiro, e Back Attack, em que você literalmente é pego com as calças na mão (Rá!). Outra mudança significativa é que cada personagem tem a sua própria classe, deixando de lado o esquema de escolha de classes do FF1 e FF3 e isso influencia nas características, habilidades e também na personalidade de cada personagem. No quesito habilidades, as mágicas não podem ser compradas como nos jogos passados, mas você vai adquirindo elas à medida que o personagem evolui ou de acordo com o decorrer da história, porem isso está restrito apenas aos personagens que podem usar magia.

"Sua Majestade, o senhor é um fanfarrão!"

"Sua Majestade, o senhor é um fanfarrão!"

A história gira em torno de Cecil Harvey, um Dark Knight e comandante dos Red Wings, uma poderosa força militar aérea a serviço do Reino de Baron. Ao seguir com a campanha por nações pacificas para obter os cristais referentes aos 4 elementos, Cecil questiona se é certo continuarem com isso, o que acaba sendo destituído de seu posto e mandado em outra missão juntamente com seu amigo Kain Highwind. A partir daí, vários personagens são introduzidos no jogo:

Cecil Harvey: Um Dark Knight a serviço do reino. Depois de ser deposto de seu cargo, se torna um Paladino, podendo usar algumas magias brancas e a habilidade Cover, que permite receber dano no lugar de outro companheiro.

Kain Highwind: Um poderoso Dragoon a serviço do Reino. Após desaparecer depois do incidente no vilarejo de Mist, reaparece sob o comando de Golbez. A habilidade Jump dele é muito útil, que faz você saltar fora da tela e em seguida você “pousa” na cabeça do inimigo.

Rosa Joanna Farrel: Uma habilidosa arqueira e White Mage a serviço do reino, é amiga de Kain e Cecil, tendo uma relação próxima com Cecil (entenda: namoro). O lado bom é que ela não morre no primeiro CD.

Rydia: Uma das moradoras do Vilarejo de Mist, que foi atacada pela “encomenda” levada por Cecil e Kain, que acaba se unindo a Cecil. Inicialmente ela é capaz de usar White e Black Magics, alem de Summons, porem no desenrolar da história, ela volta mais velha e podendo usar Summons mais poderosos. Ou seja, Leviathan e Bahamut é só com ela, meu querido.

"Leviathan apareceu! Rydia, jogue a pokebola!"

"Leviathan apareceu! Rydia, jogue a pokebola!"

Cid Pollendina: É o construtor e mecânicos das Airships de Baron. Muito amigo de Cecil, o ajuda quando descobre que o Rei era na verdade um monstro. Ele usa uma chave inglesa como arma (!), portanto espere uma força ignorante vindo dele. Mentira!

Edward Cris von Muir : Bardo que nasceu em Damcyan, apaixonado por Anna. Após ver os Red Wings bombardear Damcyan e ver Anna morrer, Edward decide se juntar a Cecil. Em algumas traduções, é usado o nome Glbert ao invés de Edward. Quem usa uma Lira como arma não deve ser alguém forte, concorda?!

Tellah: Um poderoso mago que esqueceu as suas magias ao ter sua filha Anna raptada por um bardo (Edward). Ao ver que sua filha estava morta, protagoniza junto com Edward a cena com a tradução mais lembrada pelos fãs da série. Após Cecil se tornar um Paladino, ele relembra de todas as magias, inclusive a lendária magia Meteor. Porem como esse velho não passa dos 90 MP, ele não pode usá-la.

"Seu bardo meloso!"

"Seu bardo meloso!"

Yang Fang Leiden: Um monge do Reino de Fabul, que é ajudado por Cecil ao ser atacado no Mt. Hobs por monstros de Golbez. Após ter o cristal de seu reino roubado pro Kain, Yang decide se unir a Cecil para obter de volta os cristais. Ele usa as mãos vazias para lutar, mas pode usar garras para causar algum dano Elemental ou status, sem contar que pode concentrar o seu golpe, causando o dobro de dano.

Palom e Porom: Uma dupla de magos aprendizes da cidade de Mysidia, e apesar de serem irmãos, suas habilidades e personalidades são bem diferentes. Palom é usuária de White Mage,e é muito educada e formal, enquanto Porom usa Black Mage e é um fanfarrão, convencido e se acha o gostosão daqui. Quando os dois usam a habilidade Twincast, podem conjurar magias poderosas que causam dano massivo em todos os inimigos.

Edward Geraldine (EDGE): Principe de Eblan e um habilidoso ninja alem de mulherengo e fanfarrão. Após ser derrotado por um dos monstros de Golbez e ser ajudado por Cecil, decide se unir a ele, após dar uma cantada sem vergonha em Rydia. EDGE pode usar duas armas, alem de ter a habilidade Throw, que permite jogar qualquer coisa que tiver, o que torna um personagem extremamente útil.

Fusoya: Fusoya é um Lunarian, que reside na Red Moon, que após ser acordado de seu sono se une a Cecil e fala sobre os Lunarians e sobre o pai de Cecil. Fusoya usa tanto Black quanto White Magic e sabe todas elas, mesmo tendo o seu MP limitado a apenas 190. Sem contar que ele traiu o movimento, pois é o único que está virado para a direita na tela principal.

Golbez: Quando Cecil sai do comando dos Red Wings, Golbez assume o posto, com a missão de possuir todos os cristais. Golbez comanda os 4 Lordes Elementais (Elemental Lords), que são Scarmiglione, Cagnazzo, Barbariccia e Rubicant. Mais à frente descobre que Golbez era controlado pelo Lunarian Zemus. Não é um personagem jogável.

Algumas imagens do jogo:

099

001

A profecia

A profecia

"Super Gemêos, ativar!"

"Super Gêmeos, ativar!"

186

CG de FFIV, na versão do DS

CG de FFIV, na versão do DS

Final Fantasy IV foi o primeiro que teve uma grande variedade de personagens jogáveis, cada um com o seu próprio background. Por conta disso, o jogo foi um sucesso no SNES e teve versões para outras plataformas, como o Playstation, Game boy Advance e mais recentemente no Nintendo DS, todos trazendo melhorias como adição de sidequests, CGs, gráficos em 3D (na versão para DS), entre outras. Um jogo que merece ser citado é o Final Fantasy IV: The After Years, que mostra uma outra história envolvendo os personagens 17 anos após os acontecimentos  do primeiro jogo, e incluindo Ceodore Harvey, filho de Cecil e Rosa, e Golbez como personagens jogáveis. Inicialmente este título seria apenas para os celulares japoneses, porem estará (ou está, depende de quando ler isso) disponível na Wiiware.

Cast de FFIV - The After Years

Cast de FFIV - The After Years

Agora que vem a parte complicada: a escolha das musicas a serem mencionadas neste post. A trilha sonora do FFIV é bem extensa, e há muitas musicas marcantes, como exemplo a “Theme of Love” e “Rydia”, outras mais tradicionais que ganharam um toque mais requintando por conta dos recursos do SNES, como a “The Prelude”, que não poderia faltar. Mas destaque todo especial para “Samba de Chocobo”, que junta o tema tradicional dos Chocobos com um ritmo bem brasileiro que todos conhecem. Abaixo alguns adendos musicais, não foi fácil escolher elas, culpa do Nobuo Uematsu que continua nos dando duvidas:

– “Prologue

– “Main Theme

– “Fight 1

– “Cry in Sorrow – Part2” (Você verá composições muito parecidas com esta daqui para frente)

– “The Dreadful Fight” (Foi rearranjada pela banda The Black Mages)

– “The Final Battle” (Também rearranjada pela banda The Black Mages)

Eu gostaria de escrever mais, mas se eu aumentasse este artigo tornaria este texto enfadonho por demais, logo encerro por aqui. Espero não tardar a fazer a próxima matéria, que nem preciso dizer de que jogo será, certo?!

pastor_zangief1

Será sobre Street Fighter?!

Colete muitos Gils, compre muitas Potions e Phoenix Downs, eleve o nível de seu personagem ao limite, pois é chegada a hora de retomar a série de matérias sobre a série Final Fantasy. É claro que eu estou falando da série “O Inicio da Fantasia”. É necessário dizer que esta matéria está cheia de SPOILERS?!

A Era 8 bits havia acabado e novos consoles estavam chegando com a geração 16 bits, trazendo melhorias gráficas, sonoras e trazendo aspectos novos quanto à jogabilidade. A Nintendo estava ganhando certa fama graças ao seu Super Nintendo, principalmente aqui no Brasil, já que empresas trouxeram o console para terras tupiniquins. Quem não se lembra daquele manual que vinha junto com o SNES ensinando os comandos do Super Mario World? E Claro que era uma perfeita ocasião para a Square mostrar o que era capaz de fazer em um console 16 bits, e o primeiro jogo da série a se aventurar foi Final Fantasy IV, que foi trazido para a América como Final Fantasy II.

Mesmo continuando com o esquema tradicional de batalhas por turno, uma adição importantíssima para a série, que faz a sua estréia neste jogo é o Active Time Battle (ATB). Não está ligando o nome á pessoa? Sabe aquele momento em que você vai escolher algum comando e o seu inimigo te ataca antes? Pois é, a culpa é do ATB, agora você pode culpar alguém caso perca para algum inimigo. Agora a velocidade do personagem influencia em quem atacará primeiro. O ATB também introduziu o conceito de Preemptive Strike, onde você tem a chance de atacar primeiro, e Back Attack, em que você literalmente é pego com as calças na mão (Rá!). Outra mudança significativa é que cada personagem tem a sua própria classe, deixando de lado o esquema de escolha de classes do FF1 e FF3 e isso influencia nas características, habilidades e também na personalidade de cada personagem. No quesito habilidades, as mágicas não podem ser compradas como nos jogos passados, mas você vai adquirindo elas à medida que o personagem evolui ou de acordo com o decorrer da história, porem isso está restrito apenas aos personagens que podem usar magia.

A história gira em torno de Cecil Harvey, um Dark Knight e comandante dos Red Wings, uma poderosa força militar aérea a serviço do Reino de Baron. Ao seguir com a campanha por nações pacificas para obter os cristais referentes aos 4 elementos, Cecil questiona se é certo continuarem com isso, o que acaba sendo destituído de seu posto e mandado em outra missão juntamente com seu amigo Kain Highwind. A partir daí, vários personagens são introduzidos no jogo:

Cecil Harvey: Um Dark Knight a serviço do reino. Depois de ser deposto de seu cargo, se torna um Paladino, podendo usar algumas magias brancas e a habilidade Cover, que permite receber dano no lugar de outro companheiro.

Kain Highwind: Um poderoso Dragoon a serviço do Reino. Após desaparecer depois do incidente no vilarejo de Mist, reaparece sob o comando de Golbez. A habilidade Jump dele é muito útil, que faz você saltar fora da tela e em seguida você “pousa” na cabeça do inimigo.

Rosa Joanna Farrel: Uma habilidosa arqueira e White Mage a serviço do reino, é amiga de Kain e Cecil, tendo uma relação próxima com Cecil (entenda: namoro). O lado bom é que ela não morre no primeiro CD.

Rydia: Uma das moradoras do Vilarejo de Mist, que foi atacada pela “encomenda” levada por Cecil e Kain, que acaba se unindo a Cecil. Inicialmente ela é capaz de usar White e Black Magics, alem de Summons, porem no desenrolar da história, ela volta mais velha e podendo usar Summons mais poderosos. Ou seja, Leviathan e Bahamut é só com ela, meu querido.

Cid Pollendina: É o construtor e mecânicos das Airships de Baron. Muito amigo de Cecil, o ajuda quando descobre que o Rei era na verdade um monstro. Ele usa uma chave inglesa como arma (!), portanto espere uma força ignorante vindo dele. Mentira!

Edward Cris von Muir : Bardo que nasceu em Damcyan, apaixonado por Anna. Após ver os Red Wings bombardear Damcyan e ver Anna morrer, Edward decide se juntar a Cecil. Em algumas traduções, é usado o nome Glbert ao invés de Edward. Quem usa uma Lira como arma não deve ser alguém forte, concorda?!

Tellah: Um poderoso mago que esqueceu as suas magias ao ter sua filha Anna raptada por um bardo (Edward). Ao ver que sua filha estava morta, protagoniza junto com Edward a cena com a tradução mais lembrada pelos fãs da série. Após Cecil se tornar um Paladino, ele relembra de todas as magias, inclusive a lendária magia Meteor. Porem como esse velho não passa dos 90MP, ele não pode usá-la.

Yang Fang Leiden: Um monge do Reino de Fabul, que é ajudado por Cecil ao ser atacado no Mt. Hobs por monstros de Golbez. Após ter o cristal de seu reino roubado pro Kain, Yang decide se unir a Cecil para obter de volta os cristais. Ele usa as mãos vazias para lutar, mas pode usar garras para causar algum dano Elemental ou status, sem contar que pode concentrar o seu golpe, causando o dobro de dano.

Palom e Porom: Uma dupla de magos aprendizes da cidade de Mysidia, e apesar de serem irmãos, suas habilidades e personalidades são bem diferentes. Palom é usuária de White Mage,e é muito educada e formal, enquanto Porom usa Black Mage e é um fanfarrão, convencido e se acha o gostosão daqui. Quando os dois usam a habilidade Twincast, podem conjurar magias poderosas que causam dano massivo em todos os inimigos.

Edward Geraldine (EDGE): Principe de Eblan e um habilidoso ninja alem de mulherengo e fanfarrão. Após ser derrotado por um dos monstros de Golbez e ser ajudado por Cecil, decide se unir a ele, após dar uma cantada sem vergonha em Rydia. EDGE pode usar duas armas, alem de ter a habilidade Throw, que permite jogar qualquer coisa que tiver, o que torna um personagem extremamente útil.

Fusoya: Fusoya é um Lunarian, que reside na Red Moon, que após ser acordado de seu sono se une a Cecil e fala sobre os Lunarians e sobre o pai de Cecil. Fusoya usa tanto Black quanto White Magic e sabe todas elas, mesmo tendo o seu MP limitado a apenas 190. Sem contar que ele traiu o movimento, pois é o único que está virado para a direita na tela principal.

Golbez: Quando Cecil sai do comando dos Red Wings, Golbez assume o posto, com a missão de possuir todos os cristais. Golbez comanda os 4 Lordes Elementais (Elemental Lords), que são Scarmiglione, Cagnazzo, Barbariccia e Rubicant. Mais à frente descobre que Golbez era controlado pelo Lunarian Zemus. Não é um personagem jogável.

Final Fantasy IV foi o primeiro que teve uma grande variedade de personagens jogáveis, cada um com o seu próprio background. Por conta disso, o jogo foi um sucesso no SNES e teve versões para outras plataformas, como o Playstation, Game boy Advance e mais recentemente no Nintendo DS, todos trazendo melhorias como adição de sidequests, CGs, gráficos em 3D (na versão para DS), entre outras.

Agora que vem a parte complicada: a escolha das musicas a serem mencionadas neste post. A trilha sonora do FFIV é bem extensa, e há muitas musicas marcantes, como exemplo a “Theme of Love” e “Rydia”, outras mais tradicionais que ganharam um toque mais requintando por conta dos recursos do SNES, como a “The Prelude”, que não poderia faltar. Mas destaque todo especial para “Samba de Chocobo”, que junta o tema tradicional dos Chocobos com um ritmo bem brasileiro que todos conhecem. Abaixo alguns adendos musicais, não foi fácil escolher elas, culpa do Nobuo Uematsu que continua nos dando duvidas:

– “Prologue

– “Main Theme

– “Fight 1

– “Cry in Sorrow – Part2” (Você verá composições muito parecidas com esta daqui para frente)

– “The Dreadful Fight” (Foi rearranjada pela banda The Black Mages)

– “The Final Battle” (Também rearranjada pela banda The Black Mages)

Eu gostaria de escrever mais, mas se eu aumentasse este artigo tornaria este texto enfadonho por demais, logo encerro por aqui. Espero não tardar a fazer a próxima matéria, que nem preciso dizer de que jogo será, certo?!

Tirinhas NoReset – Level 19

noreset_anime

wesleypires_profileUma aventura está para ter seu desfecho, só resta você aceitar o que está pro vir. O que você faz? Vai fazer outra coisa, é óbvio. E ai, pessoas, há quanto tempo né?

O texto acima e a tirinha abaixo tem bastante relação com esta tirinha aqui, a Level 02, logo seria legal ver ela antes. Correção, sempre é bom rever as tirinhas de outrora, só clicar ali no icone à direita.

Bom, chega de lenga-lenga. Toma a tirinha:

Tiras - Clichê 16

E uma ótima noticia: finalmente eu fiz o avatar do Jorge. Vivaaaaaaaaaaaaaaaa!

Ele havia me mandado a foto abaixo, e com base nela eu fiz o avatar, que também está abaixo:

Imagem original

Imagem original

Avatar

Avatar

Espero que tenha gostado. Se não tiver gostado, whatever =D.

Bom, assim me despeço, e…olhem o post acima deste antes de ir para outro site. Terão uma ótima surpresa.

Unchosen Paths – Castlevania III Tribute

noreset_musica

juunin_profileOlá pessoal! Saudades? Andei mais sumido que o Belchior ultimamente mas estou de volta! E dessa vez com mais Castlevania!
E você pensa “Mas Juunin, Castlevania denovo?” e eu digo que sou viciado nesses games e em suas trilhas sonora! O trabalho da compositora Kinyuo Yamashita, responsável pelas músicas do primeiro jogo, ficou tão bom que foi reutilizado em quase todos os games da série que vieram depois.

Mas hoje venho trazer-lhes uma enorme surpresa! Desde os tempos de Dwelling of Duels eu acompanho esse guitarrista chamado Goat. Lembro dele ter ganho umas 3 ou 4 vezes as competições mensais de videogame music promovidas pelo site e em todas elas o resultado foi uma obra-prima. Dessa vez ele deixou de lado as competições e lançou um álbum tributo à maravilhosa trilha sonora de Castlevania III – Dracula’s Curse, um dos games mais divertidos (e difíceis) da era NES.

Todas as faixas caem para o lado do hard rock/heavy metal e lembram muito o álbum Perfect Selection: Dracula Battle, release oficial da Konami contando com arranjos do lendário Naoto Shibata.

Chega de falar e vamos ao que interessa! Se quiser baixar o álbum gratuitamente na íntegra é só visitar o site do projeto.

6

Extra! Wii mais barato 50 doletas!

noreset_plantao

50 pila

gustavooliveira_profilePrimeiro o Xbox360, depois o PS3. Agora é a vez do Wii custar mais barato, não que isso signifique muita coisa pra gente. Mas fique sabendo você que a Nintendo declarou oficialmente o corte de preços no valor de 50 dólares do seu console.  O videogame, que custava exatos US$250, passará a custar US$200 a partir do dia 27 de Setembro nos Estados Unidos.

O console Japonês também receberá o mesmo desconto.

A queda dos preços se deve justamente, a queda de preços dos consoles da concorrência, para tornar a disputa de vendas mais acirrada.

A questão é: e no Brasil, vai rolar?

Informações com Uol Jogos

7

8