• _

Confira a entrevista do criador da “www”, Tim Berners-Lee

noreset_especial
campuspartylogo
3213299560_57c8e2ec93

cidocoelhoNesta terça-feira, o criador da World Wide Web (WWW) falou sobre a Web Semântica, dentro do Momento Telefônica. Em coletiva para a imprensa, Berners-Lee destacou sua preocupação de que a web funcione como infra-estrutura crítica para a sociedade

A palestra de Tim Berners-Lee “O futuro da Web – e isso é só o começo: olhando os próximos 20 anos”, no primeiro Momento Telefônica da Campus Party Brasil 2009, acabou com um recado para os mais de 6 mil campuseiros inscritos no evento. “É muito importante que a Internet permaneça aberta. O futuro está nas mãos de vocês. Se o browser que você usa não tem padrões abertos, não use esse browser. Vocês fazem a escolha. Vocês estão no controle”, finalizou o criador da World Wide Web (WWW), ovacionado pelo público.

Durante a apresentação de 45 minutos, Tim Berners-Lee primeiramente rememorou o início de seu trabalho, há 20 anos, que tinha o objetivo de reunir dados dispersos e incompatíveis, no que mais tarde deu origem a World Wide Web. Em seguida, ele se aprofundou na explicação da Web Semântica ou Internet 3.0, extensão da Internet atual que poderá permitir aos computadores e humanos trabalharem em cooperação. Ela seria capaz de organizar e usar todo o conhecimento disponível na rede de forma mais inteligente, misturando dados de fontes diferentes instantaneamente, a partir de dados abertos e linkados entre si. “A coisa mais importante quando vocês forem desenvolver alguma coisa na web é a universalidade. Você tem que ser capaz de utizá-la independentemente da plataforma, do sistema operacional, do browser ou da cultura que você esteja utilizando”, disse Berners-Lee.

Antes da palestra, o pai da WWW se reuniu com a imprensa e respondeu questões relativas aos seguintes temas:

Obama

“Uma das grandes coisas que Barack Obama já falou a respeito de tecnologia é que os dados sobre o governo estarão abertamente disponíveis, de forma acessível. Há uma nova onda de informações linkadas se espalhando por todas as áreas. O governo Obama chegou na hora certa, para contribuir com esse movimento por meio da abertura das informações relacionadas ao governo”.

Futuro

“A web é uma grande plataforma, e o importante é que é uma tela em branco, sobre a qual todos poderão fazer coisas com as quais eu nunca sequer sonhei. Há muitas coisas interessantes nascendo, como os dados linkados, a presença da web nos telefones celulares, que será especialmente importante em áreas rurais, por exemplo, onde a presença dos computadores é menor. Estamos começando uma Web Foundation, que pretende fazer da web algo conectado de forma humana. O importante para o futuro é pensar nos 80% da população que, hoje, não usam a internet: como a internet vai funcionar para essas pessoas? Uma das questões importantes para a missão da Web Foundation é que a web funcione como infraestrutura crítica para a sociedade. Por isso é importante que as universidades desenvolvam a web science, para entender tanto os aspectos técnicos quanto sociais da rede. Os telefones celulares serão muito importantes, mas a web sempre será acessada de formas diversas: às vezes eu preciso de coisas dentro do bolso, mas quando eu chego em casa quero uma tela de 52 polegadas, de resolução perfeita… O importante é que a web funcione de formas variadas”.

Web 3.0

“A Web 2.0 foi uma experiência muito frustrante para os usuários, porque eles colocam todas as informações em uma página e, quando acessam uma outra página, não podem usar aquele mesmo conteúdo. As redes sociais devem ser um sistema aberto, em que você controla seus dados, e essa informação pode ser usada por pessoas e sites diferentes. Você decide o que colocar e que uso isso vai ter, mas a partir de então é algo aberto. Essa é a visão de uma rede natural, feita de pessoas. Parte da ideia da rede de dados abertos linkados é a de ser a ‘rede de um amigo do amigo’: é uma rede de sites nos quais você concorda em ter seus dados. Você controla os seus dados, não uma empresa”.

Uso da Internet Semântica

“Hoje eu vejo a Internet Semântica como um movimento pelos dados abertos e eu encorajo a todos a colocarem seus dados linkados na Internet para que outros os possam utilizar. No futuro, as empresas e o governo irão nos fornecer os dados brutos e com eles poderemos fazer coisas fantásticas. Eles, por exemplo, não precisarão gastar com publicidade, já que as pessoas poderão fazer seus próprios catálogos a partir desses dados brutos”.

Sociedade

“Devemos tomar cuidado com novas formas de sociedade: tivemos vários exemplos desastrosos ao longo da história. O interessante é que em diferentes comunidades da rede as pessoas estão lidando com novas formas de democracia e de meritocracia: de como nós, como um grande grupo, tomamos uma decisão com base na maioria, mas também sabermos reagir quando nos damos conta que a minoria estava correta. Estou muito animado com os movimentos que tenho visto nesse sentido dentro da web”.

3213274774_28af777832

Pedofilia e crimes na internet

“Claro que esses são assuntos que nos preocupam a todos, mas o que você vê na web é simplesmente a humanidade: com seus aspectos horríveis, outros maravilhosos. A Internet é uma ferramenta poderosa. A informação é algo poderoso, que pode ser usado para coisas horríveis ou para coisas excelentes. Mas sou otimista quanto à humanidade, porque no final das contas, quando nos juntamos para resolver os problemas, acho que acabamos fazendo mais bem do que mal”.

Segurança e privacidade

“Talvez nosso padrão mude nos próximos anos, porque uma mudança importante seria escolher especificamente para que fim será usada a informação que colocamos na rede. No futuro, será muito fácil ter acesso ao conteúdo, mas uma empresa não poderá utilizar essa informação para um fim indevido”.

Internet provida pelo governo?

“Nos EUA, eu tenho a opção entre diversos provedores comerciais, um deles que leva fibra ótica até minha casa. Em outros países, as pessoas podem decidir que o governo seja o provedor, mas tem a ver com a cultura de cada lugar. Mas eu gosto do sistema que permite a concorrência comercial e a escolha da empresa que eu quero oferecendo conteúdo”.

Interatividade na Internet 2.0

“A Internet pode ser muito mais interativa. No momento em que os dados forem abertos, a Internet vai poder se alimentar muito mais de aplicativos e vai se tornar muito mais poderosa”.

Twitter

“É uma nova forma de comunicação. Hoje há tantas coisas fascinantes na Internet que eu não tenho favoritos. Sempre que há uma novidade, uma coisa que é a mais quente do momento, pode ter certeza que há outra logo atrás, chegando para tirar seu lugar”

rodape_noresetnet3

Segundo dia começa com cursos, palestras e entrevista

noreset_especialcampuspartylogo
3212390855_9d5f453593cidocoelhoAcordei há pouco tempo, e dei uma circulada pelo Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, local da segunda edição da Campus Party Brasil 2009.

Já tem alguns estandes disponiveis, como da Nintendo, do site de fotos do Yahoo!, o Flickr, a praça de alimentação foi aumentada mas também não vale a pena comer lá pois os preços estão muito salgados – depois conto com mais detlahes.
3213231690_a649ee80f2

Na área dos campuseiros, a paz reinava entre as barracas, com exceção de alguns sons, que não vou reproduzir aqui com muita gente roncando. Além disos na área Campus Blog, Media, Robótica, Desenvolvimento, Games, Sotware Livre aconteciam palestras e curos de PHP, XHTML, oportunidades de carreira – para proffissionais de TI. Enfim, havia palestras para todos os gostos e públicos.

3213228964_fc1121c0c6

E lá tinha um estande com um filminho em alta definição no estande de uma tv por assinatura que transmitia o sinal da HBO HD.

O final da manha foi com uma entrevista coletiva com o criador do World Wide Web – Tim Berners-Lee – que respondeu em 25 minutos muitas perguntas, que depois colocarei os pontos altos dessa conversa.

Agora eu e o meu amigo jornalista José Luís Freitas vamos sair do Centro de Exposições para almoçar, recuperar as forças para o segundo round desse dia que não acaba na Campus Party Brasil 2009. Ainda bem!

rodape_noresetnet3

Podcast NoReset – Especial Campus Party 01

noreset_especialcampuspartylogo

podcast_logoPrimeiro podcast do NoReset.Net na Campus Party, que acontece no Centro de Exposições Imigrantes, que fica no Jabaquara, Zona Sul de São Paulo.

A apresentação é do editor Cido Coelho e do convidado José Luís Freitas, do blog Notícias do Zé, que acompanha a cobertura do maior blog de fuleiragens e chinelagens da internet brasileira.

O podcast foi gravado às 3 da manhã do dia 20 de janeiro.
Clique aqui e ouçaTempo 6 minutos

Ouça também:

PARTE 2

PARTE 3


rodape_noresetnet3

Ganhei uma barraca!

noreset_especialcampuspartylogo3210203789_61395b2da0
cidocoelhoAs minhas preces foram ouvidas e alguém teve pena da imprensa. Eu e o meu amigo José Luís de Freitas, que me acompanha na jornada jornalística fomos informados que temos direito a uma barraca.

Para cada um! Que fique bem claro!

A Campus Party está respeitando a imprensa, que beleza!
 

rodape_noresetnet3

Imagens do primeiro dia da Campus Party!

noreset_especialcampuspartylogo

Veja a galeria de fotos do primeiro dia da Campus Party Brasil 2009:

rodape_noresetnet3

Primeiros números da Campus Party

noreset_especialcampuspartylogocidocoelho
A Campus Party Brasil 2009, acaba de divulgar os primeiros números do evento. São 6.259 participantes, sendo 67% deles homens e 32,7% mulheres.

Os números foram fechados até as 18 horas de hoje e compõem o primeiro levantamento oficial do evento. Confira os outros dados abaixo:
– “Campuseiros” portando seus próprios computadores na arena (restrita a inscritos): 4.000 – entre 2.492 desktops e 1.508 laptops;
– “Campuseiros” sem computador: 2.259;
– Total de “campuseiros” inscritos: 6.259 – 67% são homens e 32,7% , mulheres;
– Os “campuseiros” vêm de 26 estados – SP lidera as inscrições com 49% dos participantes, seguido por RJ, RS, MG e GO;
– “Campuseiros” de 22 países marcam presença no encontro – o mais inusitado é um participante vindo da Bielorrússia, da cidade de Minsk;
– Com 2Gb, a banda de subida de conteúdo era superior à de downloads no evento.

Daqui a pouco tem mais!

rodape_noresetnet3

Campus Party Brasil 2009 abre oficialmente

noreset_especialcampuspartylogo cidocoelho

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kasssab, o governador de São Paulo, Jose Serra, o presidente da W3C e criador do www, Tim Berners-Lee, o presidente da Telefônica, Antonio Carlos Valente e o diretor da Campus Party Brasil, Marcelo Branco, abriram oficialmente a Campus Party Brasil 2009.

Durante o discurso, o presidente da empresa de telefone destacou que a companhia foi a primeira empresa a implantar a internet banda larga em  São Paulo.

O governador José Serra declarou da importância do público e do evento para o estado paulista. Ele confessou que começou a usar a internet pela primeira vez em 2003 e se tornou um viciado.

O representante do Ministério da Cultura, Célio Turino, defendeu o uso do software livre – o Linux – e a democratização da internet no Brasil.

O criador da World Wide Web, Tim Berners-Lee, brincou com o público e junto com as autoridades fizeram a contagem regressiva da Campus Party 2009.

A banda Teatro Mágico abre o primeiro show da Campus Party 2009.

 rodape_noresetnet3

NoReset na Campus Party 2009

noreset_especialcampuspartylogo

São 38 mil m² que vão abrigar mais de 6 mil campuseiros

São 38 mil m² que vão abrigar mais de 6 mil campuseiros

cidocoelhoSim, amigo do NoReset! Eu, Cido Coelho, editor do maior blog de fuleiragens e chinelagens da internet, estarei no maior evento de tecnologia do mundo. 6 mil campuseiros, imprensa, TVs, rádio, pessoas envolvidas em projetos de inclusão digital, batismo digital… Enfim, tudo isso na Campus Party Brasil 2009, que acontece no Centro de Exposições Imigrantes, no Jabaquara, zona sul de São Paulo.

Como o Campus Party acontece perto do QG do NoReset,  eu trarei as principais novidades do evento que agita todos que adoram tecnologia, games e cyber cultura – que rola na virada da segunda para terça-feira (20) até o dia 25 de janeiro.

Eu fui conhecer o lugar, entretanto, estou postando daqui do QG do NoReset, pois a equipe do evento está nos últimos preparativos e ainda não liberaram a internet para a imprensa e os blogueiros credenciados.

campus190109

O que posso dizer no momento é que tem muita gente, de várias partes do Brasil, chegando com malas, sacolas, colchões, prontos para acampar, fazer amigos, trocar idéias, e claro, pegar o crachá para transitar tranquilamente nos 38 mil m² distribuídos para receber a Campus Party Brasil 2009.

Fique atento, pois durante essa semana, vou trazer as principais novidades que vão rolar no maior evento digital do mundo.

NoReset – Fuleiragens e chinelagens é só aqui!

rodape_noresetnet3

Criador do eyeOS estará na Campus Party Brasil

banner_campusparty2009

Cido CoelhoO jovem empreendedor e desenvolvedor catalão, Pau Garcia-Milà, virá ao Brasil para participar da segunda edição da Campus Party Brasil 2009, que acontece de 19 a 25 de janeiro, no Centro de Exposições Imigrantes, na zona sul de São Paulo, .

Garcia-Milà fará uma conferência sobre o respeitado sistema eyeOS, um exemplo de Open Source e Cloud Computing. O eyeOS é um sistema online, de código aberto, gratuito e multi-plataforma, baseado na área de trabalho de um sistema operacional;

Na conferência, Pau Garcia-Milà vai falar sobre Cloud Computing, um modelo de computação em que dados, arquivos e aplicações residem em servidores físicos ou virtuais, que são acessíveis por meio de uma rede em qualquer dispositivo compatível.

O desenvolvedor falará também sobre a história do projeto eyeOS, seu status, como participar da comunidade e vai ensinar baixá-lo e instalá-lo localmente.

Pau Garcia-Milà é de Barcelona (Espanha) e aos 15 anos começou a desenvolver pequenos projetos. Com apenas 18 anos fundou o eyeOS com a intenção de criar um sistema operativo web para fazer frente aos futuros projetos da Microsoft.

Em 2008, o eyeOs registrou mais de 400.000 membros por todo o mundo e quase meio milhão de downloads. Gigantes como a Microsoft, Apple e Google já lançaram ou preparam produtos parecidos com o projeto de Garcia-Milà.

Porém, o eyeOS é baseado em uma plataforma de software livre, o que garante o destaque do produto frente aos destas grandes empresas. O criador do sitema eyeOS fará a conferência e a apresentação de sua criação no dia 21 de janeiro, às 14 horas.

rodape_noresetnet3

Área Expo promete agitar a Campus Party Brasil

banner_campusparty2009

Cido CoelhoA segunda versão brasileira do maior encontro de Internet do mundo, que acontece entre 19 e 25, em São Paulo, no Centro de Exposições Imigrantes oferecerá uma programação turbinada às cerca de 300 mil pessoas que deverão circular pela área Expo. Com 12.000 m², o local é gratuito e aberto à visitação do público, desde que seja apresentado convite que pode ser impresso no site da Campus Party Brasil.

Assim como na primeira edição, os visitantes entrarão em contato com o amanhã por meio de gadgets (dispositivos eletrônicos) na Campus Futuro e conhecerá as últimas inovações desenvolvidas para o mundo digital em estandes de empresas de tecnologia e comunicação. Porém, com mais espaço, a área Expo desta edição abre lugar para ações inéditas. Caso do Batismo Digital, que pretende apresentar o computador e as funcionalidades da Internet para mais de 10 mil pessoas.

Outra novidade é o fato da área de Astronomia (uma das 12 áreas temáticas do encontro) ter sido trazida para o espaço aberto ao público. “Como 2009 é o Ano Internacional da Astronomia pela Unesco, a idéia é darmos um presente aos visitantes do evento, que vão poder explorar o céu em comemoração aos 400 anos das primeiras observações de Galileu”, conta Marcelo Branco, diretor-geral da Campus Party Brasil.

Ao longo dos sete dias de evento, a área Expo funcionará das 10 horas às 21 horas, contando também com uma ampla praça de alimentação em um ambiente descontraído. Conheça mais sobre cada atração da área Expo da Campus Party Brasil 2009 a seguir.

Campus Futuro


Aqui os visitantes têm a chance de colocar os pés no amanhã e experimentar gadgets, projetos e avanços tecnológicos que prometem revolucionar o mundo em que vivemos. Nesta edição, serão apresentados:

Earthwalk: interface aplicada sobre o Google Earth que permite ao usuário caminhar sobre a Terra como se estivesse voando – é possível navegar e dar zoom com o toque dos pés;

Brainball: contra as convenções de competitividade, este jogo é vencido por aquele que registra menos ondas cerebrais, ou seja, relaxa – tudo é medido por eletrodos e sensores colocados na cabeça dos participantes;

Massage Me: nova forma de fazer exercício, jogar e relaxar através de uma jaqueta que massageia e controla um programa de videogame – jogado a dois;

Robótica brasileira: universidades brasileiras com tradição no desenvolvimento de robôs vão mostrar diversos tipos de criações, desde rastreadores até aqueles que incorporam emoções;

Além disso, a área contará com a mostra de vídeos Mobilefest, que apresenta trabalhos nacionais e internacionais produzidos por – e para – aparelhos móveis com o objetivo de promover uma ampla visão sobre a estética e a linguagem destas novas tecnologias.

Feira de expositores

Em mais de 40 estandes espalhados pela área Expo, o público entrará em contato direto com novidades tecnológicas desenvolvidas por empresas de tecnologia e comunicação para o mundo digital.

Este é o local das inovações que antecipam tendências de mercado e permitem que cada participante conheça e teste ao vivo o futuro da tecnologia e do entretenimento digital.

Batismo Digital

Uma das principais ações de Inclusão Digital do evento, o Batismo Digital acontece pela primeira vez na Campus Party Brasil e irá utilizar, diariamente, 200 computadores para batizar um público estimado em 10 mil pessoas.

Será oferecido em duas versões: 1.0, que dá noções básicas sobre o uso de PCs (utilizará 80 PCs), e 2.0, que mostra como a Internet e as redes sociais podem ser decisivas na vida pessoal e profissional de qualquer pessoa (120 PCs).

A iniciativa tem o jornalista Gilberto Dimenstein como padrinho oficial, por meio do seu projeto Catraca Livre, além de contar com diversas parcerias com entidades e ONGs.

Astronomia

A área de Astronomia tem como mote o Ano Internacional da Astronomia 2009 pela UNESCO, que comemora os 400 anos das primeiras observações telescópicas do céu feitas por Galileu Galilei. Por esta razão, deixa excepcionalmente a área Campuseiros nesta edição para poder ser visitada pelo público em geral na Expo.

Entre os pontos altos da programação, haverá a exposição de arte e ciência “Sobre os Céus”, cujo nome é uma alusão ao trabalho cosmológico de Aristóteles, e observações do céu com utilização de telescópios e lunetas para mais de 500 pessoas por noite.

Sobre a Campus Party

Criada na Espanha em 1997, a Campus Party transformou-se, em 12 anos de existência, no maior evento mundial integrando tecnologia, conteúdo digital e entretenimento em rede. Os participantes mudam-se com seus computadores, malas e barracas para dentro de uma arena, onde se conectam a uma rede superveloz e convivem em torno de oficinas, palestras, conferências, competições e atividades de lazer.

Todos ensinam, aprendem e compartilham conhecimento, exercendo, de fato, o sentido democrático e pluralista que deve ter a nova sociedade da informação. Participam do encontro estudantes, professores, cientistas, jornalistas, pesquisadores, artistas, empresários e milhares de visitantes. Em comum eles têm a busca pelas últimas novidades tecnológicas, pela troca livre de conteúdos e pelo compartilhamento de experiências ligadas ao mundo digital.

Tradição na Campus Party Espanha, o Batismo Digital também fez parte da programação da 1ª Campus Party Iberoamérica, que aconteceu em San Salvador (El Salvador), em outubro, dentro da Cúpula de Chefes de Estado e de Governo, reunindo 10 mil pessoas.

rodape_noresetnet3