• _

O primeiro robô humanoide do Brasil

noreset_especialcampuspartylogo3220950008_143f6d3f2a

cidocoelhoDurante a semana da Campus Party, vários engenheiros estão ralando dia e noite para construir um robô. Batizado de CP1, em homenagem ao evento, será apresentado às 19 horas, na festa de encerramento, no próximo sábado, 24 de janeiro. O robô está sendo desenvolvido pela área de Robótica e será o primeiro robô humanóide do Brasil. O CP1 é desenvolvido e composto por tecnologias livres (abertas), para pemitir aos campuseiros que possam colaborar com o projeto. Eles podem participar discutindo e melhorando a sua mecânica, elétrica, design e programação.

“É a primeira iniciativa desse tipo no Brasil”, conta Alexandre Simões, professor de Robótica e Inteligência Artificial da Unesp e coordenador de Robótica da Campus Party. “O principal de expor nosso trabalho aqui no evento é contar com a  colaboração dos participantes e começar a criar uma cultura de robôs, que não existe no País. É importante mostrar que o robô pode estar dentro das casas e não somente nas linhas de produção das grandes fábricas”, explicou Simões.

Quando terminado, o robô pesará 40 quilos e 1,80m de altura. O CP1 é aperfeiçoado por 15 especialistas e mais 60 colaboradores, que estão trabalhando diretamete no projeto. Isso porque foi realizado um concurso para que os campuseiros enviassem os projetos para as melhorias no projeto.

“Fizemos, por exemplo, um concurso para escolher a melhor mão, para que os campuseiros pudessem apresentar seus próprios trabalhos. O nosso ponto mais crítico são as pernas, que dão sustentação para todo o robô”, completou o especialista.

rodape_noresetnet3

O bicho pegou na Campus Party!

noreset_especialcampuspartylogo
cidocoelhoNo Sarau Digital, a área de shwos e baladas do evento, vários campuseiros protestaram contra uma banda que estava tocando funk. Indignado, o cantor da banda De Leve foi querer tomar satisfação com alguns participantes da Campus Party.

Muitos campuseiros, irados, começaram a vaiar a apresentação até que o show foi interrompido.

Um campuseiro conhecido por Nerd Virbickas, vulgo “Chupa” tomou as dores dos campuseiros e não permitiu que o show prosseguisse. Confira o que rolou na madrugada de quinta para sexta, no vídeo abaixo.

rodape_noresetnet3

Batismo digital aos menos favorecidos

noreset_especialcampuspartylogo
cidocoelhoPara incentivar os menos favorecidas a aplicar a tecnologia em suas vidas, o Batismo Digital 1.0 e 2.0 da área de Inclusão da Campus Party Brasil 2009 já está cumprindo seu papel. Em média 800 pessoas passam diariamente pelo módulo com 200 computadores, acompanhadas de monitores treinados para despertar o interesse pela sociedade em rede em gente de diferentes idades.

image001

O espaço, na área Expo e Laser, tem sido visitado não só pelas caravanas agendadas pela organização,mas também por visitantes do evento em geral, que usam os computadores para entrar na Internet, jogar e se comunicar pelas redes sociais. “Estamos notando que muitas pessoas já chegam com um conhecimento mínimo de computação e web, mas há também muitos casos de gente que chega aqui para ser batizada propriamente. São idosos, adultos e crianças que querem entrar para o mundo digital”, comentou Raul Luiz, coordenador da área, que conta com as versões de batismo 1.0 (pra quem nunca teve acesso a um computador) e 2.0 (para os que já tem um conhecimento mínimo).

Joana Henrique de Lima, 56 anos, e seu neto Gustavo, 7 anos, são exemplos da inversão dos modelos tradicionais de batismo. No digital, os mais velhos é que são os menos experientes. “Acabei de criar meu email e queria que tivesse algo a ver com vovozona. É que a criançada do bairro me chama assim”, brinca Joana, moradora do CDHU Jardim Tropical, em Perus, que trouxe toda a família para a Campus Party. “Estou achando tudo muito diferente. Nunca tinha visto tanto computador junto”, conta ela.

Já o pequeno Gustavo não tirou os olhos da tela, que estava se divertindo, tentanto colocar bananas na boca de um gorila em um jogo online. “Já tinha usado os computadores lá do CEU (Centros Educacionais Unificados) de Perus, mas aqui é diferente: tem mais gente, mais computador e eu posso ficar jogando durante um tempão”, diz o garoto. E a vovó? “Agora estou tentando entrar no Orkut. Quero me comunicar com o mundo todo”.

rodape_noresetnet3

IPTV Cultura estréia na Campus Party

noreset_especialcampuspartylogologoiptvcultura

cidocoelhoA Fundação Padre Anchieta, que mantém a Televisão Cultura, Rádio Cultura FM, Rádio Cultura AM (Brasil), a TV por assinatura Ra-Tim-Bum e a loja Cultura Marcas, lança aqui no maior evento de Internet e tecnologia do mundo a primeira televisão aberta exclusiva para a internet.

A fundação usará alguns conteúdos da TV Cultura, como vídeos e entrevistas do seu acerto e os alunos e professores de comunicação da Universidade Metodista de São Paulo vão colaborar com a inserção de conteúdo informativo.

A TV Cultura é considerada uma das televisões públicas mais importantes do Brasil e do mundo.

Aqui tem um estúdio com mais de 500 m² que faz a cobertura da Campus Party entrevistando convidados e os internautas podem participar da cobertura enviando textos no site da emissora via internet. Lá também você pode assistir os vídeos no qual os internautas, a Cultura e a Metodista produziram no evento.

Você pode assistir a cobertura que acontece ao vivo no site www.iptvcultura.com.br.

rodape_noresetnet3

Frases de notebook (Versão geek das frases de caminhão)

noreset_especialcampuspartylogo

cidocoelhoEu não poderia deixar de publicar, durante as caminhadas aqui na Campus Party, nos quatro dias, percebi coisas engraçadas e estranhas.

Uma delas é o motivo deste post: as frases de notebook estão assolando o Centro de Exposições Imigrantes por alguns momentos. Por isso resolvi reproduzi-las aqui no NoReset. Confira o que eu já peguei até agora – e por enquanto!

1. Desligue o som! Eu quero assistir Lost! (Eram três campuseiros protestando contra a balada geek);

2. Serra = pedágio (Ema palavra em cada tela de notebook!);

3. Eu naum sou nerd – Caravana do Acre (Era um acreano com uma placa de papel, amarrada com barbante e pendurada no pescoço);

4. Eu dou abraço! (Eu vi por aí);

5. Criador de jogos (Está escrito em uma caixa de papelão, que guarda CPU); Ao lado tinha uma placa: “Pode pegar o cartão aqui!”.

É isso por enquanto…

rodape_noresetnet3

Novos números da Campus Party Brasil

noreset_especialcampuspartylogo3217284921_d9177c16be

cidocoelhoNesta quinta-feira, a organização da Campus Party divulgou os números atualizados da segunda versão brasileira do maior encontro de Internet e cultura digital do planeta. Dos 6.513 campuseiros inscritos, 36,3% estão incluídos na faixa etária de 18 a 24 anos. Confira abaixo os demais dados:

Dados em 21/01/2009

Total de inscritos: 6.513
Homens: 4.449 (68,3%)
Mulheres: 2.064 (31,7%)

Menores de 18 anos – 5,5%
De 18 a 24 anos – 36,3 %
De 24 a 30 anos – 30.5%
De 30 a 40 anos – 19,8%
De 40 a 50 anos – 5,8%
Acima de 50 anos – 1,8 %

rodape_noresetnet3

Balada Geek na “#cparty”

noreset_especialcampuspartylogocidocoelhoPois é… Aconteceu uma balada aqui na área dos campuseiros, que foi comandada pelo DJ Miranda – que é um dos jurados do programa de TV Astros (ex-Ídolos) do SBT. O pessoal estava empolgado, todos pulavam, dançavam, tirava fotos, desfilava com o pinguim, que é o símbolo do Linux, enfim, todos felizes. Até que alguns campuseiros que não estavam na balada começaram a protestar com seus laptops que tinham o seguinte texto nas telas: “Desliguem o som! Eu quero assistir Lost!”

O pessoal não gostou muito disso, até que na quarta parte da balada, que rolou agora pouco, a balada cessou.

Isso porque depois que saí da balada,  tinha gente vendo vídeo no You Tube, assistindo Chaves, conversando sobre software livre e eu aqui postando um texto para o NoReset.

Logo eu volto com mais novidades. Pois a noite aqui é muito longa.

rodape_noresetnet3

Campus Party no terceiro dia; Veja as imagens

cidocoelhoConfira o terceiro dia em imagens no melhor da Campus Party Brasil 2009, que acontece em São Paulo, até o dia 25 de janeiro, no Centro de Exposições Imigrantes.

Tivemos o retorno do Gilberto Gil, para conversar com o público que dissertou no espaço Inclusão Digital. Além disso, tivemos a presença de um dos defensores do famoso pinguim Linux, Maddog, dando palestra na área Software Livre e passei pelos stands que estão abertos para os campuseiros e para o público.

Lembrando que para o público visitar os mais de 40 estandes da Campus Party 2009, deverá pagar uma taxa de R$ 5,00. Você também pode conseguir mais informações no site www.campusparty.com.br.

Para ver as imagens ampliadas, basta clicar na foto escolhida. Confira a galeria:

 

rodape_noresetnet3

 

Podcast Videocast NoReset – Especial Campus Party 02

noreset_especialnoreset_channelcampuspartylogocidocoelhoNo terceiro dia do maior evento de internet e tecnologia do mundo, eu e o jornalista do blog Notícias do Zé – José Luís Freitas – falamos e aparecemos no vídeo, contando como foram o segundo e o terceiro dia da Campus Party Brasil 2009.

Clique aqui e assista 

E é claro, comente aqui no NoReset!

rodape_noresetnet3

Gilberto Gil visita a Campus Party Brasil 2009

noreset_especial
campuspartylogo
3213883120_76d6681305
cidocoelhoO ex-ministro da Cultura apresentou sua visão otimista das novas tecnologias na abertura do espaço de Inclusão Digital.
Após o entusiasmo proporcionado pela palestra de Tim Berners-Lee, os participantes da Campus Party Brasil 2009 ainda contaram na tarde desta terça-feira com a presença de Gilberto Gil. O ex-ministro da Cultura fez parte das atividades do espaço Inclusão Digital do evento e deu uma palestra “ilustrada”, junto a Claudio Prado, ex-coordenador de Políticas Digitais do Ministério da Cultura. A abertura do espaço teve a presença do ministro interino da Cultura, Roberto Nascimento, e de Clarice Coppetti, vice-presidenta de TI da Caixa Econômica Federal.

“É impossível democratizar a cultura do País sem pensar em uma universalização tecnológica”, salientou Nascimento, destacando os Pontos de Cultura e as discussões das adequações das leis de incentivo à cultura às novas tecnologias como exemplos de ações do MinC relacionadas à inclusão digital.

Já Gil apresentou sua relação com a tecnologia desde a infância até os dias de hoje, intercalando sua fala com músicas que sintetizaram cada fase da sua vida pessoal e profissional. “No ano passado, eu estive aqui como ministro e falei sobre a necessidade da politização das tecnologias, mas hoje quero abordar, do ponto de vista pessoal, o temor que existe de que as corporações detenham as designações do que seja a Internet e as novas tecnologias.

A discussão que devemos fazer é sobre o papel da sociedade no mando dos rumos do uso e do significado dessas tecnologias”, avaliou o músico, que brindou o público com canções como “Procissão”, “O Luar”, “Domingo no Parque” e “Cérebro Eletrônico”, enquanto contava sua trajetória, desde a infância na Bahia, passando pelos tempos em São Paulo, o exílio e os recentes trabalhos.

“Somente a partir do disco Quanta é que passei a ter uma visão mais otimista da tecnologia, entendendo que ela podia estar a serviço do homem, ser uma tecnologia humanizada”, acrescentou.

rodape_noresetnet3