• _

Seção Retrô: Na falta de Duke Nukem, vai o Dynamite Duke mesmo

NoReset Retrô

Atualmente, os games do estilo “shooter” são games muito bem elaborados. Esse tipo de game precisa ser um game muito bem feito em quesitos gráficos e sonoros. Também precisa ser bom na jogabilidade e no enredo, senão toma pau da crítica.

Mas nem sempre games “de tiro” foram realmente tão bons e elaborados, como você vai conferir agora.:

Ficha Técnica:

Produtora: SEGA

Desenvolvedora: Seibu Kaihatsu

Ano de lançamento: 1990

Número de Jogadores: 1

Nota NoReset: 5,5

Lançado para fliperamas e relançado em 89 para Master System, o game Dynamite Duke só foi ganhar um reconhecimento maior com o sucesso do Mega Drive. Não que isso seja lá muita coisa…

Dynamite Duke é uma adaptação sem-vergonha do Arcade, desenvolvido pela famosa produtora japonesa de fliperamas, a Seibu Kaihatsu, o que nos transmite uma enorme sensação de “mais do mesmo”. Além do mais, o game dispõe de uma das artbox mais horríveis de todos os tempos (Confira acima).

A história se passa num futuro não muito distante, provavelmente 2015, em que o buraco na camada de ozônio atingiu dimensões enormes, fazendo com que os raios infravermelhos chegassem de forma direta a Terra, torrando os seres humanos vivos.

Alguns cientistas tentam desenvolver uma raça poderosa o suficiente para suportar os raios solares, porém o cientista responsável pelo projeto foge para uma ilha deserta em que começa à desenvolver um exército mutante particular.

Sendo assim, a Aliança Global resolve recrutar o coronel Duke Rippem, “carinhosamente” chamado de Dynamite Duke devido à explosão de uma bomba, que dilacerou seu braço direito e parte de seu peito. O coronel teve parte de seu corpo reconstruído, com um braço direito radiotivo. O herói deve, então, percorrer seis estágios para acabar com o bunda-lelê dos vilões.

Dynamite Duke é um …. um… (como é que eu vou chamar esse troço?) um “shooter lateral”. Você controla Duke apenas para os lados e atira. Enquanto isso, o cenário é que se move para o lado direito, fazendo com que novos inimigos apareçam.

É com esse estranho sistema de jogo que está baseado o game. Duke não pula e não é capaz de atirar enquanto se move para os lados, fazendo com que você se torne íntimo da munição dos inimigos, que para a sorte do jogador atiram muito devagar, embora apareçam aos montes e de diferentes formas como tanques, helicópteros, buggies ou até mesmo a pé. Certamente, alguns “Game Over” faziam parte da jogatina dos jogadores de DD da época.

Para dar cabo dos oponentes, você conta com armas semi automáticas (atirando com o botão A), o Dynamite Punch (com o botão B) que é um soco devastador com o braço direito, que extermina todos os inimigos e construções presentes na tela, mas só pode ser utilizado de forma limitada, já que você conta com um estoque de apenas cinco socos. Para finalizar, temos o chute (com o botão C) que, sinceramente, não sei com qual finalidade foi incluído no game…

A questão é: atirar é um desafio à parte nesse game, já que com o direcional “D-pad” do Mega Drive, não há como mirar rapidamente na diagonal. Logo você deve ajustar a mira num eixo “horizontal-vertical” de forma rápida se não quiser levar alguns tiros extras.

Caso consiga a façanha de chegar até o final da tela, um chefão o aguardará ansiosamente para amaciar o seu queixo. Se o jogador guardou no mínimo dois  Dynamite Punchs, certamente não terá (muitos) problemas.

A questão gráfica também é um problema: os gráficos são cheios de “pontos” (os chamados sprites). Algumas vezes não dá pra perceber quando o inimigo está presente na tela, porque ele se “camufla” com os sprites no cenário. Além disso, o game chega a ter alguns inimigos foscos, embora os gráficos sejam coloridos. Pelo menos, mesmo com muitos inimigos na tela, o game não fica lento em momento algum.

Apresar de tudo isso, o game diverte por alguns instantes, enquanto você tenta matar a enorme quantidade de inimigos e chegar ileso ao final do estágio, afinal, os chefes são legais de derrotar.

Dynamite Duke vale apenas por seu valor histórico como um dos primeiros shooters, mas certamente você deve ter algo melhor para jogar no Virtual Console ou na Live Arcade, não tem?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: